Rafael Arbex/Estadão
Rafael Arbex/Estadão

Diretoria minimiza reação de Ganso e deixa para técnico decidir

São Paulo descarta intervir contra insatisfação do jogador

O Estado de S. Paulo

13 de julho de 2015 | 19h52

A diretoria do São Paulo descartou agir para conter as recorrentes reclamações dos jogadores. Segundo o vice-presidente de futebol Ataíde Gil Guerreiro, alguma atitude só será tomada a pedido do técnico Juan Carlos Osorio, o que ainda não ocorreu apesar de no domingo, ao ser substituído contra o Coritiba, Ganso ter demonstrado irritação ao sair de campo.

"O dia em que houver necessidade de intervenção da diretoria, ela intervirá. Se não houve até agora, foi porque o técnico pediu que não houvesse", comentou nesta segunda-feira o dirigente em entrevista para a Rádio Transamérica. "Não vou ter conversa com ninguém. Conversei apenas com o Juan Carlos Osorio e perguntei se estava na hora de intervir. Ele, com muita razão, disse que não", completou. Ganso deixou o campo vaiado pela torcida.

Ao deixar o campo e dar lugar para Boschilia, já no segundo tempo, o camisa 10 se recusou a cumprimentar o treinador e chutou um copo d'água. Ganso não comentou o assunto ao deixar o estádio. Semanas antes, durante a derrota por 2 a 1 para o Atlético-PR, em Curitiba, o jogador havia criticado a falha de posicionamento de Lucão no lance do gol marcado por Gustavo.

Outros jogadores do elenco também fizeram demonstrações públicas de insatisfação recentemente. Na última semana, quando o São Paulo empatou sem gols com o Fluminense, no Morumbi, Michel Bastos xingou o técnico ao ser substituído e Centurión, que entrou no lugar dele, também reclamou. "Entrando do banco para jogar 10 minutos, nem o melhor jogador do mundo poderia fazer mágica. Boa noite", escreveu o argentino no Twitter. No dia seguinte ao jogo, os dois pediram desculpas ao elenco.

Osorio admitiu neste domingo que está surpreso com a rebeldia dos jogadores no futebol brasileiro, mas já disse em entrevistas anteriores admirar e apostar no potencial de Ganso. Para Ataíde, a reclamação no domingo não foi uma atitude grave. "Estou muito satisfeito com ele. Acho que é um excelente jogador. Infelizmente, o pessoal analisa com uma crítica muito mais forte o desempenho dele, mas acredito muito que ele vá crescer muito de produção ainda".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.