Diretoria santista cobra reação da equipe

Para a diretoria do Santos está tudo esclarecido: não há qualquer crise na equipe, principalmente entre o técnico Emerson Leão e o meia Diego. A conclusão é do presidente Marcelo Teixeira, que esteve nesta quarta-feira à tarde no CT Rei Pelé e manteve duas longas reuniões. A primeira com dirigentes, comissão técnica e jogadores e a segunda mais reservada, entre ele, o vice-presidente Norberto Moreira e Leão. "Foi um encontro importante pela maneira como foi oPaulista e esclarecemos os assuntos, deixamos claro nossa insatisfação quanto ao jogo contra o São Caetano, mas esperamos desse grupo a reação que sempre teve." Teixeira não viu insubordinação no ato de Diego ao deixar o gramado e cobrar do treinador mais uma saída, mas como amanifestação de um atleta que pretende ajudar o time. "Um jogador que deixasse feliz o campo não serve para jogar num time como o Santos." O presidente conversou com o meia e Norberto ficou encarregado de administrar a crise aberta com as declarações do pai e procurador do atleta, Djair Cunha, que revelou a intenção de Diego cumprir seu contrato até o fim, com oque o Santos não teria qualquer participação financeira numa transferência para o exterior. "O pai do jogador esclareceu aquilo que queríamos ouvir e o que queremos que aconteça", disse Teixeira. Isso significa, naótica do presidente, que sua opção é ter o jogador atuando pelo Santos até julho do ano que vem, mesmo sem o clube nada receber na saída do atleta. "É um fato muito positivo porque concentra as atenções do atleta no Santos e nas atividades do clube e acaba de vez com essas especulações, até porque diziam que elas partiam do pai do atleta as negociações no exterior e estamos percebendo que ele próprio manifesta o interesse na permanência do jogador." Segundo Teixeira, Djair Cunha comentou que "algumas de suas palavras foram transformadas em um capítulo de novela". "Vocês da imprensa estão sempre informando que o Tothenham já comprou o jogador, que ele vai ser negociado no meio do ano e eu tenho alertado que existiu a proposta milionário do time inglês surgiu naquela oportunidade e nós rejeitamos" E Teixeira conclui. "Se o Diego permanecer mais um ano e meio dando sua cota de contribuição não só dentro de campo, masprincipalmente pelo que ele simboliza para os torcedores, para os jovens, inclusive meus filho, vou ficar satisfeito."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.