Ronald Wittek / EFE
Ronald Wittek / EFE

Dirigente da seleção alemã, Bierhoff pede paciência contra a Suécia

Campeão da Eurocopa de 1996 aposta em desempenhos melhores da atual campeã da Copa contra Suécia e Coreia do Sul

Estadão Conteúdo

20 Junho 2018 | 08h58

Gerente de futebol responsável pela seleção alemã, Oliver Bierhoff minimizou a derrota da Alemanha na estreia por 1 a o para o México, no último domingo, no Estádio Luzhniki, em Moscou. O ex-centroavante admitiu que a atuação da equipe foi ruim, mas acredita que não vai se repetir.

+ Neuer confirma reunião com cobranças internas, mas nega existir racha na Alemanha

+ Matthäus vê Özil 'sem coração' na Alemanha e critica foto com presidente turco

"Conversamos entre nós e cada um sabe da sua responsabilidade. Estamos tranquilos, sabemos da nossa força. É uma pena que já tão cedo tenhamos de fazer um jogo decisivo, mas podemos lidar bem com essa situação e para isso precisamos nos organizar para mostrar nossa capacidade", afirmou Bierhoff em coletiva de imprensa concedida nesta quarta-feira, em Sochi.

O dirigente fez a análise dele sobre a derrota para o México. "Quando se perde em uma Copa do Mundo, é sempre fácil encontrar culpados. Não é que os jogadores entraram sem vontade. Fizemos um mau primeiro tempo e o que ocorreu depois foi uma reação em cadeia. Nossa linha de marcação foi quebrada e isso não deve acontecer conosco. Também faltou agressividade. Se voltarmos a atuar como nos últimos anos, seremos bem sucedidos", comentou.

De acordo com Bierhoff, esse elenco da Alemanha, seleção atual campeã da Copa do Mundo e da Copa das Confederações, tem crédito. "Está indo tudo bem desde 2010, não entendo porque agora estamos à deriva. O que me dá otimismo é a experiência dessa equipe, que consegue alcançar o melhor desempenho em momentos importantes. Todos estão dispostos a fazer mais, a consertar o que saiu errado e vencer como time. Contra a Suécia, precisamos ter paciência para evitar surpresas", comentou.

 

O técnico Joachim Löw comandou treino em Sochi nesta quarta-feira, para preparar a equipe para o jogo contra a seleção sueca, às 15 horas (de Brasília) deste sábado, em Sochi. Em campo, todos os jogadores se mostraram muito concentrados e trabalharam em silêncio durante a atividade. Depois da Suécia, a última partida da Alemanha na primeira fase vai ser contra a Coreia do Sul, às 11 horas (de Brasília) do dia 27, em Kazan.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.