Dirigente diz que EUA podia ir adiante na Copa do Mundo

O presidente da Federação Estadunidense de Futebol, Sunil Gulati, disse nesta segunda-feira que a seleção norte americana não alcançou o seu objetivo na Copa do Mundo da África do Sul. Os Estados Unidos foram eliminados nas oitavas de final da competição ao ser derrotado no sábado por Gana por 2 a 1, na prorrogação.

AE-AP, Agência Estado

28 de junho de 2010 | 16h25

"O time podia mais. Perdemos uma oportunidade de chegar até as quartas de final e ter uma partida contra o Uruguai. Também desperdiçamos a chance de ter mais atenção do povo do nosso país por mais seis dias ou até dez, quando o interesse seria maior do que nunca", disse Sunil Gulati, que não garantiu a permanência de Bob Bradley na função de técnico.

O dirigente adiantou que se reunirá com o treinador para definir o futuro do treinador na equipe, que tem vínculo com a entidade até o final do ano.

"Quero escutar suas opiniões, expressar as minhas e ver o que se passa. Ele fez um grande trabalho. Quero deixar isso bem claro. O problema que nossa expectativa tinha aumentado e em algumas partidas não jogamos como gostaríamos", explicou o presidente da federação.

Tudo o que sabemos sobre:
Copa 2010futebolEstados Unidos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.