Nelson Perez/Fluminense
Nelson Perez/Fluminense

Fluminense garante permanência do técnico Enderson Moreira

Mas vice de futebol Mário Bittencourt admite aborrecimento

Estadão Conteúdo

07 de setembro de 2015 | 14h41

A sequência de quatro derrotas do Fluminense aumenta a pressão sobre Enderson Moreira, nas o treinador não está ameaçado de ser demitido. Ao menos foi o que garantiu o vice-presidente de futebol Mário Bittencourt nesta segunda-feira, em entrevista coletiva nas Laranjeiras, destacando que aprova o trabalho do treinador e garantindo que a reunião com ele após o Fla-Flu do último domingo foi apenas uma rotina.

"Avalio a passagem dele com muito bons olhos. Entendemos que não é necessário mudar. Não teve reunião nenhuma no Maracanã, nem outra hoje (segunda-feira) às 9h. O que fizemos no jogo ontem foi o que fizemos sempre. A reunião pós jogo. Ontem se alongou até porque o presidente esteve lá. A reunião hoje foi o treino, fiquei ao lado dele durante todo o treinamento", disse.

Mário Bittencourt, porém, exibiu insatisfação com o atual momento do Fluminense, especialmente em razão da queda de rendimento no Campeonato Brasileiro, com uma série de tropeços que deixam o time apenas na nona colocação, a cinco pontos da zona de classificação para a próxima Copa Libertadores.

"Ver o Fluminense perder é o que está mais me aborrecendo. Ninguém aqui gosta de ver o Fluminense perder. Estou p? pra c?! Todo mundo aqui no clube está p? Vamos reencontrar o caminho. Nos últimos dez jogos no Campeonato Brasileiro vencemos dois, mas ganhamos duas pela Copa do Brasil. Estamos lutando para colocar o trem novamente no trilho", afirmou.

O dirigente não atribuiu a apenas um fator a razão para a queda de rendimento do Fluminense, apontando várias dificuldades, incluindo o excesso de desfalques e uma sequência complicada de confrontos.

"Atribuímos a uma série de fatores. O Campeonato Brasileiro é muito longo. Alguns jogadores chegaram no meio da temporada. Passamos por problemas de montagem de elenco, reconstrução. Tivemos dificuldades em repetir a equipe. Perdemos os dois laterais esquerdos, o Vinicius, o Fred. Estamos encaixando do jeito que dá. Tivemos um início de turno com jogos em casa e agora uma sequência difícil fora de casa. Os resultados não estão saindo", comentou.

Pressionado a reagir no Brasileirão, o Fluminense volta a jogar na próxima quarta-feira, diante do Coritiba, no Couto Pereira, pela 24ª rodada.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolFluminenseMário Bittencourt

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.