Dirigente do Moto Club morre durante jogo no Maranhão

O diretor de Futebol do Moto Club, Raul Menezes, 53, morreu na noite de segunda-feira durante o clássico com o Sampaio Correa no Estádio Nhozinho Santos, pela semifinal do primeiro turno da Taça Cidade de São Luís. O dirigente sofreu um ataque cardíaco fulminante e não conseguiu chegar com vida ao hospital. A ambulância que estava no local não possuía desfibrilador.Menezes passou mal aos 40 minutos do primeiro tempo, quando o clássico estava empatado sem gols. Ele estava no setor das cadeiras ao lado do supervisor José Rui Abreu Aires. "Estava vendo o jogo quando ouvi o Raul me chamar. Olhei para o lado e ele estava caindo em meu ombro", disse José Rui ao jornal O Estado do Maranhão. O diretor de Futebol do Moto Club foi atendido por um médico que estava na arquibancada e só foi levado para o Hospital Djalma Marques após 15 minutos, mas não resistiu e morreu. ?Ele sofreu duas paradas cardíacas e foi atendido pelo médico cardiologista Nicodemo Barbosa, que assistia à partida com os médicos Ribamar Carvalho e Lobato. Raul foi reanimado, mas, a caminho do hospital, teve uma terceira parada e já chegou morto?, declarou o fisioterapeuta da equipe, Agegê Haidar.Durante o acontecimento, o juiz paralisou a partida e os jogadores das duas equipes fizeram uma roda no meio do campo para rezar por Menezes. Em seguida, os dirigentes dos dois clubes decidiram pelo cancelamento da partida. Um novo jogo foi marcado para a próxima quinta-feira, às 20h30, no Estádio Nhozinho Santos, com portões abertos.Inconformado, Aidar criticou a demora e a falta de estrutura na ambulância. ?Apesar da auxiliar de enfermagem ter sido bastante prestativa, infelizmente a ambulância não possui desfibrilador e equipamentos de entubação que são necessários para atendimento de urgência para quem tem problemas de coração.?Segundo o site oficial do Moto Club, Raul Menezes já havia passado por vários procedimentos cirúrgicos para tentar amenizar o problema no coração. O corpo do dirigente será enterro na tarde desta terça-feira, no cemitério do Gavião.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.