Dirigente fica na Ponte por mais 3 anos

A Ponte Preta vai definir seu futuro dentro do futebol brasileiro domingo quando enfrentará o Brasiliense, no Estádio Moisés Lucarelli, precisando de um empate para evitar o rebaixamento à Série B. Mas nos bastidores o futuro parece traçado com a certa reeleição do presidente Sérgio Carnielli por mais três anos. A chapa de situação foi a única inscrita nesta sexta-feira, prazo final para quem quisesse concorrer à eleição marcada para dia 12. A falta de concorrência é vista por Carnielli como um fato positivo: "É sinal de que todos os ponte-pretanos estão trabalhando em prol do clube". Ele promete algumas mudanças na sua diretoria, além de confirmar o interesse de empresas internacionais de investirem no clube em 2006. "A exigência, realmente, era de que eu continuasse", completou. Carnielli assumiu a presidência em 1996, após a renúncia de Nivaldo Baldo. Em 1997 conseguiu o acesso à Série A do Brasileiro e dois anos depois, em 1999, recolocou o time na elite paulista. Em 2003, a Ponte escapou do rebaixamento no Campeonato Brasileiro na última rodada, quando venceu o Fortaleza, por 2 a 0. Nesta temporada, quase caiu no Paulista e agora tenta fugir do descenso de novo no Brasileiro.

Agencia Estado,

02 de dezembro de 2005 | 15h28

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.