Dirigente ironiza ?Caixa D?Água?

O vice-presidente do Conselho Deliberativo do Atlético-MG, Alexandre Kalil, disse hoje que está tranqüilo em relação ao anúncio do presidente da Federação de Futebol do Rio de Janeiro, Eduardo Viana, o Caixa D´água, de que pretende processá-lo por danos morais. Viana sentiu-se ofendido com declarações de Kalil sobre a CPI do Futebol do Congresso. Em recente entrevista, o mineiro afirmou que as pessoas citadas no relatório final da investigação dos parlamentares, entre elas o dirigente carioca, são "vagabundos". "Em momento nenhum eu perdi tempo falando o nome dele, mas a carapuça deve ter servido", disse Kalil. "De qualquer forma, ser processado por uma pessoa como o Caixa D´água é um atestado de idoneidade no futebol", afirmou Kalil. Viana também acusou Kalil de atacar outros dirigentes do futebol brasileiro apenas porque estaria interessado em presidir a provável Liga Nacional de clubes. O dirigente do Alvinegro desmentiu. "Pelo estatuto da Liga, que eu ajudei a formular, ninguém ligado ao comando dos clubes nem seus parentes podem ser presidentes, ou seja, ele (Caixa D´água) está totalmente por fora", explicou. Além do processo movido por Viana, Kalil também sofre ação judicial da Ademg, estatal que administra o estádio Mineirão. Há poucos dias, o dirigente do Atlético acusou a empresa de prática de uma série de irregularidades, entre elas a evasão de renda no Mineirão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.