Dirigente italiano acusado de mafioso

O presidente do Venezia (clube italiano da Segunda Divisão), Maurizio Zamparini, foi acusado hoje de cumplicidade com a máfia, em função de assunto vinculado com a abertura de um hipermercado na ilha de Palermo, na Sicília. Segundo as investigações iniciais, seu sócio na empreitada seria um dos mafiosos mais procurados no país, Bernardo Provenzano. Zamparini dirige a empresa Emmezeta, que controla a cadeia de hipermercados Mercatone Z. A fiscalização antimáfia de Palermo empreendeu uma auditoria sobre o projeto de construção de uma dessas unidades, bem no centro da ilha. Surpreendentemente, acabou descobrindo fatos que levam ao nome de Provenzano (foragido há quase 30 anos). Flagrante gravado - Conforme anunciaram os investigadores, um dos assessores de Zamparini, Erberto Rosenwirth (encarregado da abertura de novos hipermercados), foi filmado durante conversações com membros da organização criminosa "Cosa Nostra". O assunto era referente à implantação do hipermercado em Palermo. Zamparini está implicado em outro caso judicial, que está sendo conduzido pela Procuradoria de Rieti (ao norte da Itália). Ao lado de outras seis pessoas, entre elas um de seus filhos, o dirigente está sendo processado devido à contabilidade fraudulenta em uma de suas empresas. Seleção - O técnico Giovanni Trapattonni divulgou hoje a lista dos convocados para o amistoso contra a Argentina, quarta-feira, em Roma. As principais novidades são os irmãos Christian e Damiano Zenoni (meias do Atalanta), além do atacante Vieri (Inter de Milão), que volta à ?Squadra Azzurra? após um longo período de sucessivas contusões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.