Dirigente português desconversa sobre acordo com Felipão

Em Portugal se diz que a pessoa foi ?nim? quando não diz nem sim e nem não. Pois o presidente da Federação Portuguesa de Futebol, Gilberto Madaíl, foi ?nim? ao falar sobre a permanência de Luiz Felipe Scolari no comando da seleção após a Copa da Alemanha. ?Ainda não é o momento de decidirmos isso?, disse o dirigente, em tumultuada entrevista coletiva concedida nesta segunda-feira em Marienfeld, cidade onde a seleção portuguesa está concentrada.O jornal O Jogo anunciou nesta segunda-feira um acordo entre e federação e o Banco Espírito Santo para a renovação do contrato de Felipão por mais dois anos. O treinador brasileiro receberia 1,5 milhão de euros por temporada. ?A Federação precisa de suportes financeiros para manter Scolari?, disse Madaíl. ?Nenhuma das seleções decidiram o futuro de seus treinadores, nem aquelas que já foram eliminadas.?Madaíl disse que se reúne com Felipão para conversas ?há um bom tempo? e só ?basta uma palavra? para que a decisão seja tomada. ?Não depende apenas da Federação, mas também da vontade de Scolari.? Felipão teria se reunido com Madaíl ainda na primeira fase do Mundial e teria acertado o seu prosseguimento na seleção, caso o objetivo de atingir as quartas-de-final fosse alcançado - o que aconteceu na vitória por 1 a 0 sobre a Holanda.No que depender dos jogadores, a decisão já está tomada. ?Não podemos decidir pelo futuro dos outros, mas é lógico que gostaríamos que o míster continuasse por todo o trabalho que ele tem feito este ano?, disse o atacante Postiga, considerado um talismã por Felipão. ?O segredo do seu trabalho é a amizade. Antes de ser um treinador, ele é amigo do jogador. Foi e está sendo muito importante para nós.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.