Daniel Teobaldo/ Futura Press
Daniel Teobaldo/ Futura Press

Dirigente reclama da arbitragem e Cruzeiro envia protesto à CBF

Bruno Vicintin questiona atuação do gaúcho Leandro Pedro Vuaden

Estadão Conteúdo

14 de setembro de 2015 | 14h37

Mais um clube veio a público expressar seu descontentamento com a arbitragem no Campeonato Brasileiro. Um dia depois do empate por 1 a 1 diante do Atlético-MG, o vice-presidente de futebol do Cruzeiro, Bruno Vicintin, deu entrevista coletiva reclamando da atuação do gaúcho Leandro Pedro Vuaden no clássico, principalmente por um suposto pênalti não dado em lance no qual o zagueiro Leonardo Silva tocou a mão na bola.

"Evitamos falar disso, mas nós, cruzeirenses, nos sentimos muito prejudicados ontem. O pênalti do Leonardo Silva foi absurdo. Estava do outro lado do estádio e vi o zagueiro pulando com o braço esticado. Se eu, mal posicionado, vi isso, acho um absurdo o juiz e o bandeira não terem visto", declarou nesta segunda-feira.

O toque de Leonardo Silva, ainda no primeiro tempo da partida, que estava empatada em 0 a 0, não foi a única reclamação de Vicintin. O dirigente entendeu ainda que a arbitragem errou ao assinalar um impedimento de Willian, também no primeiro tempo, e lembrou outras supostas falhas contra o Cruzeiro nos últimos jogos.

"No jogo contra a Ponte Preta, o árbitro errou, teve um pênalti contra o Pará que ele marcou fora da área. No jogo contra o flamengo, um pênalti claro no Paulo André. E ontem, além do lance do Leonardo Silva, um impedimento que o Willian ia sair na cara do gol", comentou.

O Cruzeiro não é o primeiro time a reclamar da arbitragem neste Brasileirão. O próprio rival, o Atlético-MG, aliás, é quem tem mais protestado. Flamengo, Fluminense, Internacional, Grêmio, entre outros, também já se manifestaram. Mas a diretoria cruzeirense prometeu não parar por aí.

"O nosso superintendente Sergio Rodrigues foi ao Rio de Janeiro hoje levar um protesto formal do Cruzeiro Esporte Clube contra a arbitragem. Tive o cuidado de ver as narrações nos três jogos, e todos os comentaristas de arbitragem falaram que foi pênalti. Então vamos fazer esse apelo. Não é uma política nossa comentar arbitragem, mas acredito que os times que reclamam pressionam a arbitragem. Acredito que ontem o arbitro estava pressionado a não marcar aquele pênalti. Então, deixo aqui meu protesto", disse Vicintin.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBrasileirãoCruzeiroarbitragem

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.