Pavel Golovkin/ AP Photo
Pavel Golovkin/ AP Photo

Dirigente russo se irrita com perguntas sobre doping no futebol local

Vice-primeiro-ministro da Rússia é acusado de acobertar casos ilegais no esporte

Estadão Conteúdo

01 de julho de 2017 | 11h38

Em entrevista de avaliação final da Copa das Confederações, o homem forte do futebol russo e um dos principais líderes políticos do país, Vitaly Mutko, não escondeu a irritação neste sábado diante de perguntas sobre doping no esporte da Rússia, principalmente no futebol, às vésperas da Copa do Mundo.

Vice-primeiro-ministro da Rússia, Mutko se irritou ao ouvir perguntas sobre denúncia recente do advogado Richard McLaren sobre supostos casos de doping no futebol do país. "Se eu fizer uma dança típica russa agora em frente de você, você vai parar de fazer este tipo de pergunta?", disse o político a um dos jornalistas presentes na entrevista coletiva realizada em São Petersburgo.

Segundo a mesma denúncia, Mutko é acusado de acobertar casos de doping no futebol. Há suspeitas de que atletas olímpicos usaram substâncias proibidas nos Jogos Olímpicos de Inverno, em Sochi, em 2014. Mesma suspeita recai sobre jogadores da seleção na Copa do Mundo de 2014, no Brasil. Por conta disso, dezenas de amostras russas serão reexaminadas nas próximas semanas e podem gerar eventuais punições ao país-sede da próxima Copa.

"Estamos esperando pelo resultado destes relatórios", garantiu o presidente da Fifa, Gianni Infantino, também presente na coletiva. Ele assegurou que haverá punições, caso sejam comprovados os casos de doping. "Se algo surgir da investigação, haverão sanções, obviamente."

Vitaly Mutko, mais uma vez, negou qualquer irregularidade na política antidoping do seu país. "Nunca iríamos decepcionar uma organização tão poderosa e tão respeitável como essa", afirmou, em referência à Fifa. Ainda não há prazo para a revelação do resultado dos novos testes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.