Dirigente se diz 'apreensivo' por sumiço de jogador

O assessor da presidência do Grêmio, Evandro Krebs, comentou nesta terça-feira o desaparecimento do jogador Mário Fernandes, de apenas 18 anos, e demonstrou preocupação sobre o caso. O dirigente afirmou estar "apreensivo" sobre a situação do atleta gremista, que sumiu na última sexta-feira e estava no time de Porto Alegre há cerca de dez dias, depois de deixar o São Caetano.

AE, Agencia Estado

17 de março de 2009 | 18h48

"Estamos muito apreensivos, sem qualquer definição do que realmente possa ter acontecido", disse Krebs. "É muito difícil afirmar que o jogador foi sequestrado ou não, devido à grande violência dos dias de hoje." Segundo a polícia gaúcha, desde o desaparecimento foram feitos três saques bancários na conta do jogador, no valor de R$ 600 cada.

Com a polícia considerando a hipótese de Márcio Fernandes ter deixado Porto Alegre por vontade própria, Krebs se mostrou surpreso pela possível mudança de atitude do jovem jogador. "A passagem dele pelo São Caetano é de brilho, de destaque técnico e a chegada dele aqui foi tranquila. Ele já estava devidamente alojado e integrado ao clube", afirmou.

Mesmo preocupado com o sumiço do jogador recém-chegado ao Grêmio, o dirigente se manteve otimista pela solução do caso. "A expectativa é positiva e espero que a gente esteja com esse garoto o mais rápido possível", disse Krebs.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.