Dirigentes alemães "frios" com Lincoln

O desejo do meia brasileiro Lincoln de se naturalizar alemão para defender a Seleção daquele país e, conseqüentemente, tentar disputar a Copa do Mundo do ano que vem, foi recebido com frieza pelos dirigentes da federação nacional. Neste final de semana, ele deixou claro que pensa seriamente em se tornar alemão em entrevista à revista Kicker.O ex-jogador Olivier Bierhoff, atual gerente, deixou claro que não gosta desta opção. ?Em qualquer esporte, tem que haver alguma identidade com a Alemanha. Não sou simpatizante da idéia de se ?comprar? uma seleção?. Theo Zwanziger, presidente da federação alemã, não é contra a naturalização, mas considera inapropriado o desejo do jogador. ?Não é certo que alguém se torne alemão só porque não tem espaço na seleção de seu país de origem.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.