Dirigentes da Bolívia analisam novo veto da Fifa à altitude

Federação estuda alternativas para evitar novos problemas com os jogos acima de 3 mil metros de atlitude

EFE

12 de janeiro de 2008 | 21h23

Dirigentes do futebol da Bolívia iniciaram neste sábado uma reunião para analisar uma nova resolução da Fifa que ratifica o veto à prática do futebol em estádios localizados 2.750 metros acima do nível do mar. A reunião ocorre na cidade de Santa Cruz e é comandada por Carlos Chávez, presidente da Federação Boliviana de Futebol. Segundo o gerente-geral da federação, Alberto Lozada, esta nova resolução da Fifa chegou ao organismo esta semana, através da Confederação Sul-Americana de Futebol (CSF). De acordo com a nova norma, está proibida a realização de jogos de futebol em estádios localizados a mais de 3.000 metros de altitude, a não ser que haja um período de aclimatação de pelo menos duas semanas. O Estádio Hernando Siles de La Paz, onde a Bolívia deve jogar com as seleções de Chile e Paraguai em junho, pelas Eliminatórias Sul-americanas à Copa do Mundo de 2010, fica 3.577 metros acima do nível do mar. Há quase um mês, a Fifa decidiu proibir a prática do futebol internacional em estádios situados a mais de 2.750 metros na ausência da adaptação necessária aos jogadores. O presidente boliviano, Evo Morales, disse à época que apelará à ONU e a outros organismos internacionais se a Fifa não mudar de idéia e respeitar a prática do esporte em altura. Morales, que gosta muito de futebol, promove há meses uma campanha para provar que o esporte pode ser praticado na altitude. Ele se diz contra a primeira resolução da Fifa vetando os jogos, divulgada em maio do ano passado. Inicialmente o organismo proibiu jogos internacionais a mais de 3.000 metros acima do nível do mar, mas rebaixou o limite para 2.500 em razão das reclamações de diversos países sul-americanos. O organismo também autorizou a Bolívia a jogar, pela última vez, as atuais Eliminatórias Sul-Americanas no estádio Hernando Siles. No entanto, a Fifa pediu ao governo boliviano que construa outro estádio numa altitude menor, em La Paz, para futuras competições.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.