Dirigentes da Conmebol confirmam saída de Del Nero da Fifa

Presidente da CBF nega acordo para deixar a entidade

Jamil Chade / ZURIQUE, O Estado de S.Paulo

21 de outubro de 2015 | 07h00

Membros do alto escalão da Fifa cobraram uma representação “efetiva” do Brasil no futebol e confirmaram a saída do presidente da CBF, Marco Polo Del Nero, do Comitê Executivo da entidade. Pressionado, o presidente da Conmebol, Juan Napout, informou oficialmente aos membros da Fifa que haverá uma “solução” para a ausência de Del Nero até dezembro.

Ontem, a entidade realizou uma reunião de emergência diante da crise que atravessa, sem presidente, sem secretário-geral e com o risco de ver uma debandada de patrocinadores. No esforço de tentar virar a página, a Fifa apresentou uma reforma completa de sua constituição, criando limite de idade para dirigentes, limite de mandatos, a publicação de salários e o fim do seu Comitê Executivo.

Marco Polo Del Nero

Mas a proposta também pede que os cartolas deem “exemplo”. “Comportamento não ético não pode ser tolerado e precisa ser condenado abertamente pelos líderes da Fifa”, disse a entidade em um comunicado.

Oficialmente, a CBF nega qualquer acordo para substituir Del Nero, apesar de os dirigentes sul-americanos falarem em Zurique abertamente à imprensa sobre o fim do mandato. O Estado revelou com exclusividade ontem a saída de Del Nero, investigado pelo FBI.

Ao ver a irritação dos membros da Fifa, Napout pediu a palavra na reunião e garantiu que aquela seria a última reunião na qual um dos três lugares da Conmebol na Fifa estaria vago. “Teremos uma solução para o encontro de dezembro”, confirmou Napout. Ele informou que, no dia 26 de novembro, um encontro está previsto no Rio entre as dez federações sul-americanas para chegar a um acordo.

Joseph Blatter e Michel Platini vivem dias de definição Eles podem ser punidos com uma suspensão de longo prazo por “falsificação” das contas da Fifa. A eleição foi mantida para o dia 26 de fevereiro de 2016.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.