Dirigentes depostos retornam após Fifa ameaçar Nigéria

Regra da Fifa que impede interferência governamental ameaçou excluir a Nigéria das Eliminatórias da Copa Africana de Nações

Estadão Conteúdo

08 Setembro 2014 | 12h44

Um porta-voz da Federação Nigeriana de Futebol (NFF, na sigla em inglês) afirmou nesta segunda-feira que os dirigentes depostos da entidade estão retomando os seus cargos após a Fifa ameaçar suspender o país de atividades internacionais pela segunda vez em dois meses, depois dos membros não terem seus cargos restabelecidos inicialmente.

O porta-voz da NFF, Ademola Olajire, explicou que o secretário-geral Musa Amadu e outro dirigentes estão de volta aos seus postos depois de serem removidos pelo governo federal da Nigéria no mês passado.

Depois disso, foram realizadas eleições no dia 26 de agosto para substituir o presidente da NFF, Aminu Maigari, com a escolha de Chris Giwa. A Fifa, porém, não reconheceu esse pleito e deu prazo até esta segunda-feira para a liderança anterior ser restabelecida, sob pena da Nigéria ser banida, porque as suas regras não permitem interferência governamental.

Olajire afirmou que Maigari ainda não está de volta ao trabalho, mas "pode voltar a qualquer momento". Ele disse que "as pessoas que foram eleitas no congresso" no mês passado "não vão voltar".

Ao cumprir o ultimato, a Nigéria afasta o risco de ficar fora das Eliminatórias da Copa Africana de Nações de 2015, torneio do qual é a atual campeã. Após estrear na fase de grupos com derrota por 3 a 2, em casa, para o Congo, a equipe volta a entrar em campo nesta quarta-feira, quando vai enfrentar a África do Sul como visitante.

Mais conteúdo sobre:
futinter futebol Fifa Nigéria

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.