Dirigentes do Cruzeiro denunciam conspiração

As duas derrotas consecutivas do Cruzeiro e a conseqüente diminuição da vantagem sobre o Santos, que caiu de 12 para 6 pontos, levaram diretoria celeste e o técnico Vanderlei Luxemburgo a sugerirem um suposto esquema visando prejudicar o time mineiro na reta final do Campeonato Brasileiro. Os cruzeirenses reclamaram muito da atuação do árbitro Rodrigo Martins Cintra, acusando-o de ser o responsável pela derrota por 1 a 0 para o Internacional, ontem (22) à noite, em Porto Alegre. "Eu gostaria de entender porque um trio paulista foi escalado para um jogo do Cruzeiro que interessava tanto ao Santos", comentou nesta quinta-feira o presidente do clube mineiro, Alvimar Oliveira Costa, conhecido como Alvimar Perella. "Tudo isso deixa a gente com uma grande interrogação.Será que estão armando contra o Cruzeiro?", questionou o dirigente, acusando "forças ocultas" de tentarem evitar que o clube conquiste o título inédito. "E o Leão (técnico do Santos) fica dizendo que o Cruzeiro está sendo beneficiado", completou Alvimar. Luxemburgo também atacou a atuação de Cintra, reclamando da marcação do pênalti que originou o gol da vitória colorada e da expulsão do volante Augusto Recife. "O árbitro fez o jogo do jeito que ele quis", disse após a partida. O treinador aproveitou para mandar um recado ao presidente da Comissão Nacional de Arbitragem (Conaf), Armando Marques, contestando a escolha de Cintra por sorteio. "Um jogo que tem um peso desse e (um árbitro) de São Paulo ainda por cima?".Até o preparador-físico da equipe mineira, Antônio Mello, levantou suspeitas. "É brincadeira. O Cruzeiro está sendo visado para não ser campeão? Alguma coisa está sendo preparada por trás?", perguntou Mello, que acusou um policial militar que fazia parte do efetivo presente no Beira-Rio de o agredir após jogo contra o Inter. Por conta disso, o Cruzeiro decidiu entrar com uma representação no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) para que o clube gaúcho perca o mando de campo em jogos do Brasileirão. DRACENA - Para reforçar as críticas contra uma suposta "armação", o técnico e os dirigentes cruzeirenses citaram a pena imposta no início da semana ao zagueiro Edu Dracena, que foi punido no STJD com uma suspensão de cinco jogos pela cotovelada dada no atacante do Atlético-MG, Alex Alves. "Anteciparam tudo quanto tinha de julgamento para colocar o do Edu Dracena em pauta primeiro", afirmou Luxemburgo. Segundo ele, o zagueiro foi "julgado e condenado pela mídia. Quando chegou no Tribunal já estava a sentença pronta". A diretoria do Cruzeiro informou que o clube entraria nesta quinta-feira com um pedido de efeito suspensivo da pena imposta a Dracena, até o julgamento do recurso apresentado pelo clube. "ATENTOS" - Luxemburgo, porém, prometeu que os últimos acontecimentos não irão "desestabilizar" o ambiente na Toca da Raposa. "Nós estamos muito atentos a tudo que está acontecendo. Quero que os meus jogadores não sintam essa instabilidade que estão querendo passar externamente", afirmou. "Do jogo do Atlético-MG para cá, tentaram desmerecer a nossa vitória, tentaram desestabilizar o Cruzeiro, criaram diversos fatores".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.