Dirigentes garantem realização da Copa América do Centenário nos EUA após reunião

Após uma reunião de várias horas em um hotel da Cidade do México, os dirigentes da Concacaf e da Conmebol anunciaram que têm a intenção de que a Copa América Centenário seja realizada no próximo ano nos Estados Unidos como estava programado desde o início.

Estadão Conteúdo

17 de setembro de 2015 | 16h24

O torneio, que se concebeu com a intenção de celebrar o centenário da Conmebol com a participação das dez seleções sul-americanas e seis convidados da Concacaf, estava sob incerteza desde maio quando estourou o pior escândalo de corrupção da Fifa.

"Foi uma reunião produtiva para todos, chegamos a um ponto em que estamos alinhados com a meta comum de realizar a Copa América nas datas previamente anunciadas", disse Jürgen Mainka, diretor de comunicação e marketing da Concacaf. "Há várias etapas a serem realizadas, mas este alinhamento está muito claro e nós nos seguimos adiante com a meta".

Mainka, porém, não aceitou perguntas nem deu mais detalhes sobre a realização do torneio, que está programado para ser realizado entre os dias 3 e 26 de junho de 2016 nos Estados Unidos.

A reunião de emergência na Cidade do México provocou uma onda de boatos sobre uma possível mudança da sede para o México. O escândalo de corrupção que eclodiu na Fifa atingiu a Conmebol porque vários de seus dirigentes foram indiciados pelo Departamento de Justiça dos Estados Unidos por supostamente terem recebido subornos no processo de venda dos direitos de quatro edições da Copa América, incluindo a do Centenário.

Dois ex-presidentes da Conmebol, o uruguaio Eugenio Figueredo e o paraguaio Nicolas Leoz, foram acusados nos Estados Unidos de extorsão, suborno e outros crimes. Figueredo está detido na Suíça. Já Leoz está sob prisão domiciliar no Paraguai.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.