Dirigentes querem socorro para clubes

Dirigentes dos grandes clubes brasileiros não têm propostas para sair da crise que atinge o futebol. A preocupação imediata da maioria é reduzir salários dos jogadores e contabilizar as cotas de televisão, única fonte de receita concreta. Entre os presidentes dos clubes não há um discussão séria sobre alternativas para o futuro. Eles só comungam o pensamento contra a Medida Provisória do Governo que obriga os clubes a se transformarem em empresas. No lançamento do Campeonato Brasileiro/2002, na quinta-feira, em São Paulo, o Jornal da Tarde ouviu presidentes dos principais clubes do País sobre receitas contra a crise. Foram consultados 20 dirigentes, entre os 26 que representam seus times no campeonato. Pelo menos 90% deles responderam que a saída é a redução dos salários dos jogadores e técnicos. Eles também bateram forte na MP do governo que será votada em outubro no Congresso Nacional. Leia mais no Jornal da Tarde

Agencia Estado,

12 Agosto 2002 | 09h35

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.