Divulgação
Divulgação

Displicente, Flamengo abre Carioca apenas com empate

Rubro Negro volta sonolento na fase final e cede o 1 a 1 ao Boavista

Thiago Rabelo, Estadão Conteúdo

30 Janeiro 2016 | 21h47

A boa vitória sobre o Atlético-MG, na última quarta-feira à noite, no Mineirão, na estreia da Copa Sul-Minas-Rio, não foi o início de uma nova era no Flamengo. Neste sábado, na abertura do Campeonato Carioca, o time de Muricy Ramalho apresentou velhos problemas da temporada anterior e ficou apenas no empate por 1 a 1 com o Boavista, no estádio Edson Passos, em Mesquita. O empate coloca a equipe na 3ª posição do Grupo B da competição neste início de disputa.

Interditado na sexta-feira à noite, com risco de desabamento e de desastre, o estádio Edson Passos foi liberado pela manhã, sem que nenhuma medida fosse tomada, mas com a promessa de que o América, atual responsável pelo local, faça as obras de readequação na segunda-feira.

Se o estádio ganhou a aprovação da segurança pública de Mesquita, o Flamengo não pode dizer o mesmo com a sua torcida. Em um jogo morno, a primeira ação ofensiva só saiu aos 24 minutos, quando Willian Arão encontrou Guerrero, livre na área, que chutou em cima do goleiro.

Autor de dois gols na vitória sobre o Atlético Mineiro, o centroavante se redimiu mais tarde. Aos 29, o peruano cortou para a perna direita e acertou um belo chute no ângulo: 1 a 0. O meio de campo era de Willian Arão. Recém-contratado, o jogador deu belo passe para Marcelo Cirino chutar forte e ver Vinicius fazer boa defesa.

O Flamengo se resumia a boas jogadas do volante e do centroavante. Na segunda etapa, o Boavista acertou a marcação na dupla e neutralizou o adversário. A partida ficou ainda mais sem graça, com um Flamengo relaxado à espera do apito final. Mas essa apatia custou caro. Aos 31 minutos, Leandrão, ex-Vasco, recebeu cruzamento de Thiago Silva e marcou de cabeça.

Nem mesmo o gol de empate fez o time de Muricy Ramalho reagir. Embora tivesse maior posse de bola, não conseguiu traduzir isso em finalizações, com uma exceção, quando Rodinei invadiu a área e chutou em cima de Vinicius, na última oportunidade da equipe.

FICHA TÉCNICA

FLAMENGO 1 X 1 BOAVISTA

FLAMENGO - Paulo Victor; Rodinei, Wallace, Juan, Jorge;Willian Arão, Márcio Araújo, Chiquinho, Everton (Jajá) e Marcelo Cirino (Thiago Santos); Guerrero. Técnico: Muricy Ramalho.

BOAVISTA - Vinícius; Nerylon (Thiago Silva), Anderson Luiz, Victor e Davi; Douglas Pedroso, Júlio César (Thiaguinho), Romarinho (Lucas) e Guilherme Costa; Matheus Paraná e Leandrão. Técnico: Rodrigo Beckham.

ÁRBITRO - Leonardo Garcia Cavaleiro.

GOLS - Guerrero, aos 29 minutos do primeiro tempo; Leandrão, aos 31 do segundo.

CARTÕES AMARELOS - Júlio César (Boavista).

RENDA - R$ 159.400,00.

PÚBLICO - 6.218 pagantes (7.318 no total).

LOCAL - Estádio Edson Passos, em Mesquita (RJ).

Mais conteúdo sobre:
FutebolFlamengoMuricy Ramalho

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.