Montagem/Estadão
Montagem/Estadão

Disputa de artilheiros agita partida entre Cruzeiro e Palmeiras

Marcelo Moreno e Henrique adotam discursos parecidos, evitam destacar os grandes feitos realizados e preferem falar no coletivo

DANIEL BATISTA, O Estado de S. Paulo

22 de outubro de 2014 | 09h29

Embora a distância na classificação seja de 25 pontos, Palmeiras e Cruzeiro se assemelham na disputa pela artilharia do Campeonato Brasileiro. De um lado, o palmeirense Henrique já marcou 14 gols e lidera neste quesito, seguido de perto pelo cruzeirense Marcelo Moreno, que aparece com 13. Os dois goleadores adotam discursos parecidos e evitam falar dos grandes feitos realizados. Adotam a tática de pensar e falar mais no coletivo, mas é inevitável esperar mais de ambos.

"É uma disputa à parte, mas temos que pensar no coletivo. Se o Palmeiras puder ganhar de 1 a 0 com um gol de um companheiro, ficarei muito feliz", disse Henrique, que em seguida, brincou com o concorrente. "É um confronto legal e espero que o Marcelo Moreno não esteja tão feliz e a gente vença", completou.

Marcelo Moreno adota postura parecida. Mostrando bom humor, ele assegura que torce pela recuperação do Palmeiras no campeonato, elogia o concorrente, mas espera que nesta quarta-feira, a sorte esteja do lado cruzeirense. "Não o conheço pessoalmente, mas ele tem mostrado uma capacidade de finalização muito boa. Está tendo boas oportunidades de fazer os gols. Desejo tudo de bom para ele e para o Palmeiras, mas esperamos fazer a nossa parte no Mineirão", disse o atacante do Cruzeiro.

Cruzeiro e Palmeiras se enfrentam nesta quarta-feira, às 19h30, no Mineirão. No lado mineiro, o técnico Marcelo Oliveira terá seus principais jogadores disponíveis, enquanto no Palmeiras, Dorival Júnior não poderá contar com Lúcio, Marcelo Oliveira e Valdivia. O primeiro está machucado, o segundo pertence ao Cruzeiro e por isso não pode atuar e o terceiro está suspenso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.