Disputa faz Kahn perder 1 milhão de euros em publicidade

O goleiro do Bayern de Munique e da seleção alemã, Oliver Kahn, tem sido alvo de duras críticas depois de voltar a falhar no segundo gol do Colônia contra sua equipe no empate de sábado, por 2 a 2, pelo Campeonato Alemão. Além dos erros e da lesão que o incomoda desde a partida contra os Estados Unidos, quando a Alemanha venceu por 4 a 1, em Dortmund, Kahn enfrenta outro problema: a disputa estabelecida pelo técnico da seleção, Jürgen Klinsmann, com Jens Lehmann, do Arsenal, causou ao goleiro a perda de pelo menos 1 milhão de euros em publicidade, segundo o diário alemão Bild.A publicidade do Mundial na Alemanha, principalmente na TV, continua sem a presença de Kahn porque os patrocinadores não sabem se ele vai atuar ou não. Antes da Copa de 2002, o goleiro do Bayern fazia propaganda de tudo, de perfume a chocolate. Atualmente, apenas a Adidas, marca da seleção alemã e do Bayern, paga bem para ter Kahn num comercial.Segundo publicitários conhecidos no meio ouvidos pelo Bild, o motivo é a falta de decisão de Klinsmann. "Como as empresas podem contratar Kahn se elas não sabem se ele vai jogar a Copa?", analisou um publicitário, sem se identificar. E especialistas do meio sugerem que o goleiro do Bayern está perdendo cerca de 1 milhão de euros por causa da disputa com Lehmann. Ainda que seja escolhido como número 1 no início de maio, Kahn não deve recuperar esta quantia, principalmente porque as peças publicitárias de TV já foram filmadas. Pelo Bayern, o goleiro tem uma garantia de 500 mil euros de publicidade, segundo o Bild.Apesar disso tudo, Kahn continua afirmando que é o número 1 e vai lutar por isso. Do outro lado, Lehmann também não está em situação diferente. Além da indefinição de Klinsmann, Lehmann joga no Arsenal, patrocinado pela Nike, e na seleção, pela Adidas, e não tem despertado nenhum interesse nos patrocinadores. O rei da publicidade na seleção é o meia Michael Ballack, que está em muitas campanhas e acaba de estrelar um comercial para a TV da Deutsche Bahn, a companhia ferroviária da Alemanha.

Agencia Estado,

04 de abril de 2006 | 12h42

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.