Dívida do Gimnasia pode barrar negócio com Herrera

Clube de La Plata não pode negociar com os corintianos pois ainda tem uma dívida de 2007, de R$ 1,6 milhão

Marcel Rizzo, Jornal da Tarde

19 de agosto de 2008 | 18h32

Uma dívida do Gimnasia de La Plata com os outros parceiros nos direitos do atacante Herrera pode complicar a compra do Corinthians. Os argentinos não pagaram até agora o US$ 1 milhão (R$ 1,6 milhão) pelos 50% que adquiriram do avante, em 2007. Com isso, os credores San Lorenzo - que ainda têm 25% - e Raúl Delgado, empresário que detém os outros 25%, prometem barrar qualquer transação com os corintianos. Veja também:Faça a sua aposta no Bolão Vip do Limão Ao contrário do que vem sendo informado, o empresário Ricardo Schlieper não tem participação sobre os direitos do atleta. "O Ricardo é apenas o empresário do Herrera, há uns nove anos. O jogador pertence ao Gimnasia, ao San Lorenzo e ao Raúl Delgado", disse Walter Cirne, que representa Herrera no futebol brasileiro. Delgado e San Lorenzo já avisaram ao Gimnasia que só liberam a venda se o Corinthians comprar os 100%, ou seja, a parte deles também, o que envolveria os US$ 3 milhões (R$ 4,8 milhões) que constam no contrato. Caso contrário, vão acionar a Justiça para cobrar a dívida ou para reaver os 50%. Este valor o Corinthians não paga. Em conversa na semana passada, em Florianópolis, o clube paulista ofereceu US$ 1 milhão pelos 50% do Gimnasia, por meio de Cirne, que estava na cidade visitando Herrera. "Acho que pode ter negócio mesmo assim. Todos vão sentar e conversar e a vontade do jogador será ouvida. E ele quer ficar no Corinthians", avisou Cirne. MORAIS EM CASAO meia deve fazer sua estréia neste sábado contra o CRB, em Maceió. Coincidentemente, ele nasceu nesta cidade e começou a carreira no próximo rival da equipe. "Agora sou 120% Corinthians. Não vou ter pena do meu antigo time", disse o jogador. Nesta terça-feira, ele treinou como atacante em um jogo-treino contra o time sub-20. Pode ser utilizado nessa função. OLIVEIRA VOLTA?Quem pode retornar à equipe, após um ano se recuperando de lesão, é o volante Marcelo Oliveira. Mano Menezes o colocou como candidato à lateral esquerda, já que André Santos está suspenso e Wellington Saci, machucado. Ele já foi improvisado nessa posição. As outras opções, os laterais Alessandro e Dênis, são destros, mas também já jogaram pela esquerda.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.