Dívidas não assustam Real e Barcelona

Real Madrid x Barcelona é ainda um jogo caro por causa das dívidas dos dois clubes. O Real deve o equivalente a R$ 470 milhões. O Barça, mais "previdente", tem contas a pagar em torno de R$ 150 milhões. As somas são salgadas e, em alguns países, deixariam dirigentes com cabelos em pé. Menos na Espanha. Os dois gigantes locais garantem que "tudo está sob controle", embora não seja bem isso que digam analistas financeiros. "Estamos preparados para tempos difíceis", anunciou Florentino Pérez, quando foi eleito presidente do Real Madrid, no meio do ano passado.Nem por isso, deixou de mostrar ousadia, ao contratar Figo por US$ 56 milhões. As dívidas? Ora, quem tem medo delas. "Temos patrimônio suficiente para conseguir crédito", garante Pérez, que precisou fazer caixa, em agosto, com a venda do passe do volante argentino Fernando Redondo, pelo qual o Milan pagou mais de US$ 20 milhões.O presidente do Real Madrid sabe o que diz, quando se refere a patrimônio. Parte dele está sendo empenhado para cobrir gastos. No meio da semana, foi anunciado acordo com a prefeitura de Madri e com um grupo de empresários para a cessão de parte da área da Ciudad Deportiva, o centro de treinamentos localizado em zona nobre da capital. A prefeitura construirá no local três centros comerciais e esportivos, além de um pavilhão de exposição para estimular a candidatura da cidade aos Jogos Olímpicos de 2012.Os 20% restantes da área seriam vendidos pelo clube por R$ 650 milhões, dinheiro suficiente para saldar débitos e ainda construir novo centro de treinamentos em outra região. Os envolvidos na transação dizem que tudo é "transparente", mas sindicatos e políticos querem mais detalhes a respeito dos termos do acordo. Pérez diz que tudo está dentro das normas legais.O Real Madrid se orgulha ainda de ter um estádio localizado em área valorizada e de fácil acesso e se permite ter um canal exclusivo, com 12 horas de transmissões ligadas apenas às atividades do clube. Por isso, Pérez promete festa para este Sábado. O departamento de marketing foi acionado e pretende animar a torcida com milhares de balões coloridos, som, luz. Além disso, cartolinas nas cores azul e branca serão distribuídas nas arquibancadas para formar a palavra Real Madrid.Dessa maneira, o presidente do Real espera dar o troco no Barça, que recebeu mal o time e principalmente Figo, no primeiro turno. Será ainda uma prévia do que deve ocorrer até o centenário do Real, no dia 6 de março do ano que vem.O Barcelona não se incomoda com a ostentação do rival. Os catalães contra-atacam com alguns argumentos semelhantes - principalmente no que se refere a estádio, maior, e a canal de tevê. De quebra se orgulham de ser um dos poucos times no mundo que, por opção, não usam publicidade nas camisas. A folha de pagamentos é sustentada pela contribuição regular e mensal de mais de 100 mil sócios. Mas as dívidas existem assim mesmo, com a matemática contrariando a tradição do clube.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.