Divórcio fez Sonny ir jogar no Catar

O atacante Sonny Anderson só faltou chorar na sua despedida do Villarreal: o brasileiro confessou hoje que trocou o clube espanhol pelo Al Rayyan, do Catar, por um motivo muito especial: usar a soma de US$ 2,5 milhões para pagar seu divórcio. "Estou tentando me separar desde 2001. Embora o divórcio não tenha saído, minha mulher me tirou tudo. Por isso, fui obrigado a procurar dinheiro em outros clubes", disse o jogador de 34 anos, em entrevista a uma emissora de rádio de Paris. Anderson contou também que não poderia deixar passar a oportunidade e que os dirigentes do Villarreal, equipe que defendeu durante um ano e marcou 13 gols no Campeonato Espanhol e seis pela Copa da Uefa, o liberaram sem problemas. Eles foram compreensivos, segundo Anderson, que tinha contrato com o clube espanhol até o final da temporada. "Uma chance assim só acontece uma vez na vida, e eles reconheceram isso", afirmou. Segundo Anderson, por esse mesmo motivo ele antes deixou o Lyon, onde conquistou a Copa da Liga Francesa em 2001 e 2002 e foi eleito o melhor jogador daquele país nas temporadas de 2000 e 2001. O atacante brasileiro também defendeu o Barcelona, onde foi campeão em 98 e 99. No site oficial do Villarreal, Anderson contou que foram dias felizes os que passou no Villarreal: "Levarei lembranças muito boas. A conquista da Copa Intertoto no ano passado, a excelente temporada que realizamos na Copa da Uefa e as vitórias contra adversários fortes não serão esquecidos. Deixo muitos amigos aqui", declarou. O artilheiro, que atuou em 4 jogos da Seleção Brasileira, defendeu, também na Europa, a equipe suíça do Servette.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.