Djalminha ameaça sair do La Coruña

O maior ídolo da torcida do La Coruña ameaça ir embora. O brasileiro Djalminha, chamado de "Deus negro" na cidade e eleito numa pesquisa o maior jogador da história do clube, está insatisfeito com sua situação. "Minha paciência está acabando. Se continuar sendo pouco aproveitado aqui, vou embora. Existem clubes tão importantes quanto o La Coruña que me querem", afirmou.Djalminha sofreu uma lesão muscular na panturrilha direita em agosto, durante a pré-temporada, e ficou dois meses sem jogar. Nesse período, o técnico Javier Irureta colocou Valerón em sua posição.O brasileiro se recuperou da contusão e há duas semanas foi convocado pela primeira vez na temporada, mas acabou cortado do banco de reservas para a partida contra o Zaragoza. Depois, ele jogou 20 minutos contra o Sevilla pelo Campeonato Espanhol e outros 20 diante do Lille, pela Liga dos Campeões. Nas duas partidas, disputadas na Galícia, o público gritou pedindo sua entrada."Jogar 20 minutos não me ajuda em nada, pelo contrário. Desse jeito não vou recuperar o ritmo de jogo. Os torcedores têm muito carinho por mim porque gostam do meu estilo de jogo, mas se fico tão pouco tempo em campo não tenho como retribuir esse carinho."Apesar de ter declarado à imprensa sua intenção de deixar o La Coruña - o mercado espanhol será reaberto em dezembro -, o meia brasileiro ainda não conversou com ninguém do clube a respeito disso. Mas, se resolver falar com alguém, será direto com quem manda. "Não tenho nada para conversar com o treinador, porque quem decide a escalação é ele e respeito isso. Se for para falar com alguém, será com o presidente."Djalminha chegou ao clube galego na metade de 97 e participou com destaque da campanha que levou o time ao primeiro título espanhol de sua história, na temporada 99/2000. Em novembro do ano passado, ele renovou contrato até junho de 2005. "Naquele momento, eu estava muito contente no clube e muito feliz numa cidade que me encanta. Gostaria de ficar aqui, mas só se for útil. Nessas duas últimas partidas, não me senti assim."A angústia de Djalminha por ser reserva tem a ver com sua obsessão de voltar à seleção brasileira. Ele já disse em várias entrevistas que ficará frustrado se encerrar a carreira sem disputar uma Copa do Mundo e que até hoje não entende por que não foi ao Mundial da França, em 98.Ele não teve condição de ser chamado por Luiz Felipe Scolari para os jogos contra Paraguai, Argentina e Chile por causa da contusão, mas tinha esperança de ser lembrado para as partidas diante de Bolívia e Venezuela, o que não ocorreu. Com o Mundial se aproximando, Djalminha sente que suas chances de integrar o grupo da seleção vão ficando menores a cada dia. "Estou recuperado há 20 dias e acho que teria grandes chances de ser convocado se já estivesse jogando."Para dificultar mais ainda a sua situação, o La Coruña está fazendo uma ótima temporada. É líder isolado do Campeonato Espanhol com 20 pontos, três à frente de Celta, Betis e Valencia. No sábado, o time jogará fora de casa contra o Rayo Vallecano.Na Liga dos Campeões da Europa, o La Coruña já garantiu a classificação para a segunda fase com duas rodadas de antecedência. Além disso, ganhou os dois jogos que fez contra o poderoso Manchester United (2 a 1 na Espanha e 3 a 2 na Inglaterra).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.