Documentário online promete 'democratizar' a Copa do Mundo

Projeto quer mostrar diferentes formas de torcer pela seleção brasileira pelo País

Flavia Alemi, O Estado de S. Paulo

23 de maio de 2014 | 07h02

SÃO PAULO - Após tentativas frustradas de conseguir assistir aos jogos da seleção brasileira nos estádios durante a Copa do Mundo, a jovem Carolina Tulio Abu-Izze, de 22 anos, decidiu se arriscar numa aventura com outros nove amigos: seguir o time de Felipão a bordo de um enorme trailer e registrar pelo País as diferentes formas de se torcer pela seleção no documentário #RumoAoHexa. A ideia, segundo Carolina, é fazer com que todos os brasileiros consigam acompanhar e vivenciar a Copa.

"Apesar de ser um evento produzido no nosso País, apenas uma parcela muito baixa da população vai poder, de fato, experienciar a Copa, ir aos jogos e acompanhar a seleção. Vamos compartilhar essa experiência com todo mundo, vamos democratizar a Copa", conta Carolina.

Para concretizar o projeto, foi reunido um grupo de amigos que atuassem em áreas relacionadas: há três produtores, um fotógrafo, um jornalista, um designer e mais três profissionais para captar e editar os vídeos. E como manter esse pessoal todo motivado? "De alguma maneira a gente vai ter que comer, então levamos também um cozinheiro", relata, aos risos.

Já o veículo funciona quase como o 11.º integrante da equipe. Depois de muita pesquisa, Carolina, ao lado de José Ricardo Mannis, um dos mentores do projeto, encontrou um trailer em Itu, cidade do interior paulista com fama de ter souvenirs de tamanho agigantado. Com o trailer, não podia ser diferente, uma vez que a casa sobre rodas é grande o suficiente para acomodar todo grupo.

A publicação dos vídeos no canal do documentário no Youtube começou a ser feita há um mês, com um teaser. Desde então, mais três registros já foram ao ar, entre eles os capítulos 1 e 2, que mostram como a ideia tomou forma. Estão previstos 14 vídeos, sendo metade deles sobre os traslados até as cidades que vão receber os jogos. Os outros usarão como base os dias de jogos da seleção. Isso, é claro, prevendo - e torcendo - que o Brasil chegará até a final.

"Não acreditamos na possibilidade da seleção perder. Estamos torcendo com todas as forças e acreditamos que o Brasil vai ser hexacampeão. Mas, caso aconteça de cair em alguma fase, vamos passar a seguir a seleção que eliminou o Brasil para zicar", projeta.

DESPESAS

Até o momento, todos os gastos estão sendo bancados pelos próprios idealizadores do projeto. "Estamos em busca de patrocínios e parcerias, mas, por enquanto, é a gente mesmo quem arca com as despesas", detalha.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.