Ivan Storti/Santos FC
Ivan Storti/Santos FC

Dodô brinca sobre ausência de Chulapa: 'Técnico adversário ficará mais tranquilo'

Auxiliar foi expulso no jogo contra o Flamengo e Santos será comandado pelo preparador de goleiros Arzul

Estadão Conteúdo

27 de julho de 2018 | 19h22

O lateral-esquerdo Dodô falou nesta sexta-feira sobre o fato inusitado de o Santos ser comandado pelo técnico interino do interino. Isso porque após a demissão de Jair Ventura, o auxiliar Serginho Chulapa assumiu provisoriamente. Mas ele foi expulso na quarta-feira no jogo contra o Flamengo e por isso quem comandará o time alvinegro do banco de reservas na próxima partida será o preparador de goleiros Arzul.

+ Bryan Ruiz treina com bola e preparador de goleiros comandará o Santos no domingo

+ Antes destaque no Pacaembu, Rodrygo se rende à Vila Belmiro: 'Até arrepia'

+ Contundido, Lucas Veríssimo desfalca o Santos contra o América-MG

"O treinador adversário vai ficar mais tranquilo do lado do campo (risos)", brincou o jogador. Chulapa levou cartão vermelho por xingar o técnico Mauricio Barbieri. O Santos volta a campo no domingo, quando receberá o América Mineiro, na Vila Belmiro, pela 16ª rodada do Campeonato Brasileiro.

"Brincadeiras à parte, a gente vai sentir a falta do Serginho. Ele participa bastante. Grita, cobra, acaba estimulando muito os jogadores. Mas a gente tem feito um trabalho de preparação muito bom. O pessoal da análise já nos ajudou muito contra o Flamengo. A gente vai sentir a falta do Serginho, mas o Arzul vai representar muito bem e esperamos fazer um bom jogo", emendou Dodô.

O Santos vem de três empates consecutivos no Campeonato Brasileiro e ocupa a 15ª colocação, com 16 pontos, mesma pontuação da Chapecoense, que abre a zona de rebaixamento. Um novo tropeço em casa pode deixar o time alvinegro entre os últimos colocados.

"Domingo vamos ter mais um jogo decisivo. Hoje estamos brigando na parte de baixo, é a nossa realidade. Temos que encarar com seriedade. Enfim, sabemos da nossa realidade e, como disse, precisamos mostrar agora a força que o grupo tem para sair dessa situação incômoda", analisou Dodô.

O jogador também falou sobre a demissão do técnico Jair Ventura. "Pegou todo mundo de surpresa. Fizemos um jogo difícil em Chapecó (empate sem gols com a Chapecoense) e na reapresentação ele não estava mais. Na minha carreira, mesmo na Europa, isso tem se tornado um pouco rotina. Foram poucas as vezes que trabalhei com o mesmo treinador uma temporada inteira", disse.

Questionado sobre prováveis substitutos, Dodô disse que não é papel do jogador opinar nessa área. "Tem o presidente para tomar essa decisão. Até porque vamos ser comandados pelo treinador. É uma decisão que cabe à diretoria. Os jogadores têm que fazer o papel dentro de campo, que é treinar e estar à disposição", finalizou.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.