Dodô quer gol na sua volta ao Morumbi

O atacante Dodô, do Botafogo, volta neste domingo ao Morumbi, seu estádio preferido e onde se projetou para o futebol brasileiro, com uma idéia fixa: quer deixar sua marca novamente contra o Corinthians, como fez num jogo em 1997, ainda atuando pelo São Paulo. "Tabelei com Marques, que me devolveu a bola de calcanhar e chutei de bico, um bonito gol", lembra. "A partida terminou empatada (2 a 2), mas representou um salto em minha carreira." O artilheiro do Torneio Rio-São Paulo, com 15 gols, ao lado de França, do São Paulo, disse que passou a ser mais cortejado pela imprensa após aquele gol. Recebeu também mais atenção no seu clube e acabou conquistando mais espaço no futebol paulista. "Não sei ao todo quantos gols eu fiz no Morumbi, mas guardo na memória muitos deles, a grande maioria pelo São Paulo. O Morumbi é como se fosse a minha casa." Dodô jogou pelo São Paulo em 1994 e 1995 e, depois, de 1997 a 1999. Em 1996, foi emprestado para o Paraná. Deixou o Tricolor paulista para defender o Santos e sempre teve o Morumbi como um referencial. "Enfrentar o Corinthians é bom em qualquer circunstância. No Morumbi então é melhor ainda." Ele achou graça ao tomar conhecimento do mal-entendido que circulou na sexta-feira entre os adversários deste domingo. O zagueiro Scheidt teria avisado aos colegas corintianos que Dodô estaria ausente do jogo, por ter sido expulso ou recebido o quinto cartão amarelo no Botafogo x Vasco, disputado quinta-feira. Foi uma sensação de alívio para a trupe de Vampeta e companhia. Mas a correção veio logo e a eventual vantagem do Corinthians acabou desfeita. "Não posso responder pelo Botafogo sozinho; o time vem bem porque existe aplicação tática e companheirismo."

Agencia Estado,

23 Março 2002 | 11h27

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.