Olga Matseva/AFP
Olga Matseva/AFP

'Doídos' por queda na estreia, costarriquenhos confiam em vitória sobre o Brasil

Seleções se enfrentam na sexta-feira, pela segunda rodada do Grupo E

Estadão Conteúdo

18 Junho 2018 | 18h26

Próxima adversária do Brasil na Copa do Mundo, a Costa Rica confia que pode vencer a seleção de Tite na sexta-feira, quando as equipes se enfrentam em São Petersburgo. Ainda sentindo a queda na estreia para a Sérvia, os costarriquenhos se mostraram otimistas e se apegam ao que fez a Suíça para tentar surpreender os brasileiros.

+ Técnico admite que derrota complica a Costa Rica, mas lembra: 'Ainda não acabou'

+ Fora de treino da seleção, Neymar faz tratamento contra dores no pé direito

"Estamos um pouco doídos, queríamos um resultado positivo que não veio, mas o resultado do Brasil e Suíça nos deixa pensando nas possibilidade que temos se conseguirmos a vitória. Se fizermos uma boa partida, podemos ganhar. Está difícil, mas não é impossível", considerou o atacante Daniel Colindres.

O zagueiro Kandal Watson foi ao encontro do que disse seu colega e considerou totalmente possível a vitória sobre o Brasil. "Falar do passado é colocar mais fogo no assunto. O mais importante agora é o Brasil e temos que ver o que fazer para ganhar, jogando de uma maneira inteligente, sem ir para cima como loucos."

A Costa Rica voltou aos treinos nesta segunda, em São Petersburgo, após a derrota de domingo. O dia foi de novidades, afinal, a seleção recebeu o defensor Kenner Gutierrez, convocado para a vaga do lateral-esquerdo Ronald Matarrita, cortado por lesão muscular. Os jogadores que foram titulares diante da Sérvia fizeram um trabalho regenerativo, enquanto o restante do elenco foi ao campo para uma atividade com bola.

 

Nos próximos dias, o técnico Óscar Ramírez definirá o time para pegar o Brasil. "Vamos polir os conceitos nestes dias, em busca de concretizar as opções que nos restam diante do Brasil, que, como a Suíça, é um time muito bom, mas não impossível de vencer", afirmou Watson.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.