Dois centroavantes brigam por vaga na Vila

Leandro Machado, o novo centroavante do Santos, treinou hoje em dois períodos, marcou um gol no coletivo, mas ainda não foi apresentado aos jornalistas. Isso só ocorrerá quando toda a papelada estiver em ordem, já que faltava ainda um documento do jogador. Sua chegada, porém, já abriu uma disputa pela camisa titular do comandante do ataque entre Leandro e Robgol. Como Leandro não vai disputar as próximas partidas, Robgol ganhou uma motivação a mais para buscar a condição de titular. Mesmo sem um concorrente direto, ele tinha sempre Basílio como sombra. "A dúvida era Robgol ou Basílio; agora é Robgol ou Leandro Machado", disse o técnico Leão. Robgol foi diplomático hoje. "É uma boa contratação porque o grupo vai ficar ainda mais fortalecido". Ele sabe que agora tem um rival que joga na mesma posição e que terá de se desdobrar para continuar no time. "Vai ser uma briga boa e sadia pela condição de titular", disse, revelando que os dois têm características parecidas. "Jogamos pelo meio e temos boa presença de área", analisou. Em sua avaliação, leva vantagem sobre Leandro Machado, por já estar no time desde o início da temporada e não acha que o gol que deu a liderança ao time na fase passada do Paulista vá garantir alguma vantagem. "Isso já faz parte do passado e tenho de continuar trabalhando duro para ser mantido na equipe". Conta ainda com o fato de se dar bem em disputas decisivas, como a fase que o Santos está entrando. "Sempre me dou bem nesse tipo de decisão e espero continuar assim, pois queremos conquistar o Paulista". Leão observou bem Leandro Machado, mas procurou não fazer comentários. Disse apenas que o jogador se movimentou com vontade. "Não deu para achar nada, pois ele treinou só 20 minutos com bola", disse o treinador, que entende ser cedo para análises. "Ele tem tempo para entrar em forma; como sabe jogar, não teremos problema com isso". Claiton jogou com Leandro Machado no Sul e gosta do futebol do companheiro. Mas no treino de hoje deu uma pegada mais forte no centroavante. "Amigos amigos, negócios à parte", disse o volante, descontraído. "Minha maneira de trabalhar é essa e mostra a seriedade do trabalho no Santos". Depois do treino, os dois jogadores conversaram. "O Leandro achava que o tipo de treino, a pegada eram mais leves, mais light e viu que aqui tem de trabalhar forte".

Agencia Estado,

18 de março de 2004 | 20h16

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.