JOSE PATRICIO/ESTADAO
JOSE PATRICIO/ESTADAO

Dois engenheiros são condenados por acidente na Arena Corinthians

Pena é convertida em prestação de serviços à comunidade e pagamento de prestação pecuniária

Paulo Favero, O Estado de S.Paulo

03 de abril de 2018 | 19h28

Os engenheiros civis Frederico Marcos de Almeida Horta Barbosa e Marcio Prado Wermelinger, ambos da Odebrecht, foram condenados pela Justiça no processo que trata da morte de dois operários nas obras da Arena Corinthians após a queda de um guindaste que provocou o desabamento de uma parte do estádio.

+ INFOGRÁFICO - Relembre o acidente na Arena Corinthians

Eles foram denunciados pelo Ministério Público de São Paulo (MP-SP) e o Judiciário acatou a tese de que ambos foram responsáveis pelo tombamento do guindaste. Os profissionais foram enquadrados nos artigos 256 (pena para quem causa desabamento, expondo perigo à vida de terceiros) e 258 (determina aumento da pena em caso de morte) do Código Penal.

 

"Tanto Barbosa quanto Wermelinger foram condenados a um ano, seis meses e 20 dias de detenção em regime inicial aberto. A pena foi convertida em prestação de serviços à comunidade, pagamento de prestação pecuniária no valor de 80 salários mínimos (para Barbosa) e de 50 salários mínimos (para Wermelinger)", disse o MP-SP.

Frederico Barbosa era o responsável técnico pela obra enquanto Wermelinger tinha a função de acompanhar as atividades da empresa Locar, terceirizada que operava o guindaste. Outras quatro pessoas foram absolvidas  (José Walter Joaquim, Leanderson Breder Dias, Valentim Valaretto e Gilson Guardia), mas a promotoria prometeu recorrer.

A Odebrecht, por sua vez, respondeu por meio de nota. "A Construtora Norberto Odebrecht ratifica que diversos Laudos Técnicos elaborados por renomados especialistas afastam qualquer responsabilidade de seus integrantes nas causas do acidente em questão".

O acidente no canteiro de obras do estádio do Corinthians em Itaquera ocorreu em 27 de novembro de 2013. Na ocasião, a torre do guindaste estava levantando uma peça da cobertura de 420 toneladas e tombou. O motorista e operador de caminhão-guindaste Fábio Luiz Pereira, de 41 anos, e o montador de cadeiras Ronaldo Oliveira dos Santos, de 43 anos, foram atingidos e morreram.

Tudo o que sabemos sobre:
OdebrechtArena CorinthiansCorinthians

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.