Divulgação/Vila Nova
Divulgação/Vila Nova

Dois meses após Prêmio Puskas, Wendell Lira luta para se firmar

Atacante disputou seis partidas pelo Vila Nova desde janeiro

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

18 de março de 2016 | 07h00

Pouco mais de dois meses após a conquista do Prêmio Puskas como autor do gol mais bonito de 2015, o atacante Wendell Lira ainda luta para se firmar no Vila Nova. Desde a cerimônia de premiação, no dia 11 de janeiro, o jogador atuou em seis partidas (Trindade, Brasília - duas vezes - , Goiás, CRAC e Itumbiara). Em apenas duas delas, começou como titular, contra Brasília e CRAC. Nesse período, não fez gols ou deu assistências. “Entrei em algumas partidas, mas só uma sequência de jogos faz com que você adquira ritmo. Falta pouco para eu me sentir 100%”, justifica o jogador.

O principal problema do atleta que desbancou Messi na eleição da Fifa é a questão física. Curiosamente, o Prêmio Puskas, maior feito de sua carreira, trouxe problemas para a sequência no novo clube. Por causa dos inúmeros compromissos e homenagens que se seguiram ao prêmio, Wendell Lira perdeu o período de pré-temporada. Com isso, ficou atrasado. “Os compromissos atrapalham um pouco, mas como você vai se recusar a participar de uma homenagem?”, indaga o jogador.

De acordo com o fisiologista Caio Oliveira, ele começou a treinar com regularidade apenas na metade de fevereiro – o grupo se reapresentou em janeiro. “O trabalho da pré-temporada garante a base para o ano todo. Depois de um trabalho individual, ele está treinando com o grupo, mas ele ficou algum tempo sem jogar e isso também influencia”, diz o especialista.

A expectativa da comissão técnica é de que ele esteja totalmente pronto apenas em abril, na fase decisiva do Campeonato Goiano. No meio do ano, a equipe terá 15 dias para uma intertemporada antes da disputa do Campeonato Brasileiro da Série B. “Aí sim, Wendell vai poder se equiparar fisicamente ao grupo”, declarou Rogério Mancini, técnico interino antes da chegada de Leandro Niehues.

 

Antes de ter sido contratado pelo time goiano, em janeiro, o jogador de 26 anos estava desempregado desde setembro, quando o Tombense-MG encerrou sua participação na terceira divisão. Esse período de quase quatro meses também está apresentando a fatura agora.

A fase de recuperação física gera cobranças da torcida, que espera boas atuações como aquelas do primeiro semestre de 2015, quando Wendell ajudou o Goianésia a chegar à semifinal do Campeonato Goiano. Foi nessa fase que ele fez o gol mais bonito do ano. “A conquista do prêmio traz uma pressão grande, mas estou tranquilo e centrado. Minha vida mudou do dia para a noite, o assédio continua em todos os lugares, mas estou continuando minha vida”, conta o jogador.

Paralelamente à retomada da carreira, Wendell luta pelo seu grande sonho pessoal: comprar uma casa própria. Como o Puskas não traz premiação financeira, ele ainda está batalhando com o salário mensal. “Ainda não deu para comprar a casa, mas estou feliz. Estou fazendo o que eu gosto, que é jogar futebol”, disse.

Tudo o que sabemos sobre:
MessiFifaWendell

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.