Domenech diz que Anelka não quis pedir desculpas

O técnico francês Raymond Domenech afirmou neste domingo que deu uma chance para que o atacante Nicolas Anelka para se desculpar pela sua explosão verbal no intervalo da derrota por 2 a 0 para o México, quando xingou o treinador, e que a sua recusa em fazê-lo justificou a decisão de dispensá-lo da equipe que disputa a Copa do Mundo na África do Sul.

AE, Agência Estado

20 de junho de 2010 | 08h19

Anelka foi cortado no sábado, horas depois da revelação do seu discurso inflamado e irritado, recheado de palavrões, pelo jornal esportivo francês L''Equipe. "Eu dei a ele a chance de vir e falar, pedir desculpas", afirmou Domenech ao programa de TV Telefoot do canal TF1. "Mas ele não quis e foi por isso" que junto com a Federação Francesa de Futebol o treinador definiu a dispensa do atacante.

Domenech acrescentou que o caso de indisciplina de Anelka não foi "um problema pessoal entre o treinador e o jogador", mas "um problema relativo à federação e a imagem da equipe francesa".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.