Domenech segue cheio de mistérios para estréia da França

Raymond Domenech é um homem cheio de mistérios antes da estréia da França na Copa do Mundo. Neste sábado, o treinador não quis antecipar a escalação do time que pega a Suíça, nesta terça-feira, em Stuttgart, o esquema tático que vai utilizar no confronto e muito menos quem será o substituto de Djibril Cissé - que se lesionou no último amistoso de preparação, contra a China, e foi cortado da Copa - no ataque. ?Temos várias alternativas, vamos estudar todas e definir a que for melhor?, despistou Domenech. ?O importante é que temos um time com potencial e há tempo para solucionar as dúvidas, nos treinamentos?.O clamor da torcida francesa e dos críticos pela escalação de Franck Ribéry, ao lado de Thierry Henry, por enquanto não comove o treinador. Diante da insistência dos repórteres, ele quase admitiu que pode dar uma chance à nova revelação francesa, mas continuou evasivo. ?Ribéry é uma boa opção?, disse.A idéia de Domenech é utilizar o treinamento fechado para a imprensa, neste domingo, em Hameln, para acertar os últimos detalhes para a estréia no Mundial. Além de Ribéry, Trezeguet pode ser escalado, ou então, mais um meia - nesse caso, Henry atuaria isolado na frente. ?Ainda temos alguns detalhes para acertar, em relação ao posicionamento da defesa, da postura do meio-campo e da produção do nosso ataque?, comentou. ?Mas vamos ajustar tudo com o decorrer dos jogos?.A privacidade do time é um dos fatores mais importantes para Domenech, na preparação para a Copa. Por isso, escolheu um lugar tranqüilo para concentrar o elenco, o Hotel Müncchausen, afastado da cidade. ?Os jogadores sabem que é importante ter concentração nesse momento?, resumiu. Por isso, Domenech não gostou muito de realizar um treinamento aberto ao público, neste sábado. ?É uma regra da Fifa, se eles acham que isso é bom para todos, e para os torcedores, vamos respeitar?, disse. ?A mim, essa idéia não agrada?.O treinador francês não quis entrar em detalhes nem sobre a análise dos adversários do grupo - além da Suíça, ainda enfrentará Togo e Coréia do Sul. ?A Suíça tem um bom time, estamos concentrados para esse jogo?, disse. ?A respeito dos nossos outros rivais, vamos assistir primeiro o jogo entre eles, para tirar uma conclusão melhor?, afirmou.Pelo menos em um assunto, Domenech se posicionou abertamente: defendeu o meia Patrick Vieira, que foi criticado por suas últimas atuações. ?Não entendo a razão das críticas?, disse o treinador. ?Vieira é um jogador que organiza a defesa, coordena o meio-campo e chega ao ataque?, observou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.