Domingos volta com a missão de parar o Imperador

Técnico Emerson Leão pretende utilizar o zagueiro para neutralizar as jogadas de Adriano no clássico

SANCHES FILHO, Especial para O Estado de S. Paulo

08 de fevereiro de 2008 | 19h06

Dos seis zagueiros do Santos, Domingos, baiano de Nazaré das Farinhas, 22 anos, 1m81 de altura e 80 quilos, é o único que tem as características exigidas por Leão para anular o Imperador Adriano no clássico contra o São Paulo, na tarde deste domingo, no Morumbi. Ele não enfrentou o Marília porque estava suspenso e volta amanhã, com a missão especial. Tanto pode ser no lugar de Adailton, que se recupera de uma dor que sentiu na coxa direita, ou de Evaldo. "Para marcar Adriano é preciso um jogador do tamanho dele, que tenha uma braçada como a dele e um juiz atento", definiu o técnico santista.Foi ele quem convocou pela primeira vez o centroavante para a Seleção Brasileira. "Via nele um garoto de grande habilidade e com futuro; com tamanho adequado para a posição e canhoto, o que é raro para um centroavante. Apostei nele felizmente não errei. Domingo não podemos dar moleza para ele de jeito nenhum." A vantagem que Domingos leva sobre os demais zagueiros santistas nem é o tamanho. Adailton (1m90), Marcelo (1m90) e Evaldo (1m91) são mais altos, porém de estilo mais leve e menos eficientes na disputa das bolas altas na área. Domingos usa mais a força física, o que lhe rendeu 11 cartões amarelos em 30 jogos no Campeonato Brasileiro do ano passado. Além disso, como foi emprestado ao Grêmio, quando iniciava a carreira, em 2005, participou da campanha do clube gaúcho para voltar à primeira divisão do Brasileiro e teve que se tornar um zagueiro mais duro na marcação e que dificilmente perde uma dividida. Para facilitar o trabalho da defesa, no treino deste sábado, Leão vai ensaiar a marcação no meio-de-campo para evitar que a bola seja cruzada na área para Adriano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.