Doni e Robgol abrem o listão do Santos

A torcida venceu: Doni está indo embora do Santos. O goleiro e o centroavante Robson, o Robgol, abrem a lista de dispensa na Vila Belmiro e outros nomes poderão ser anunciados nos próximos dias. A decisão de rescindir os contratos dos dois atletas foi tomada na noite de segunda-feira na reunião de Leão com o presidente do clube, Marcelo Teixeira, e alguns assessores para tratar de reforços. Os dois jogadores foram embora sem dar entrevistas. Com as dispensas, Júlio Sérgio reassume como titular do gol, enquanto no ataque Leão terá que improvisar Elano como centroavante, porque Basílio, contundido, também não enfrentará o Jorge Wilsterman, amanhã, às 21h45, no encerramento da primeira fase da Copa Libertadores da América. O jogo será um simples amistoso porque o Santos já assegurou o 1º lugar do Grupo 7 e o time boliviano, que tem apenas dois pontos ganhos, apenas cumprirá tabela. Pela ´nova política de comunicação´ do Santos, hoje não era dia de Leão dar entrevista. Porém, após o treino de hoje à tarde, no Centro de Treinamentos Rei Pelé, o técnico se dirigiu ao local reservado para as coletivas à imprensa e anunciou que Doni e Robgol estão indo embora. "Eles não estão escalados e nem relacionados para a concentração. Existem clubes com forte interesse neles e a diretoria quer conversar. Não posso correr o risco de colocá-los em campo num jogo em que não vai mudar nada." Em seguida, o técnico não confirmou que o centroavante teria se oferecido ao Paysandu. "Tem coisa melhor para os dois". Diante da insistência dos repórteres quanto aos interessados em Doni e Robson, Leão transferiu o problema para a diretoria. O diretor de futebol, Francisco Lopes, também evitou o assunto. "Há clubes interessados não só em Robson como em outros jogadores. Estamos estudando caso por caso." Doni chegou à Vila Belmiro pouco antes do início do Campeonato Paulista, com a difícil missão de substituir Fábio Costa, um dos maiores responsáveis pela conquista do título nacional de 2002, principalmente pela atuação na finalíssima contra o Corinthians, e ídolo da torcida. Com a mesma rapidez com que tirou o lugar de Júlio Sérgio, caiu em desgraça com a torcida, ao tomar gols em bolas defensáveis. No empate por 2 a 2 com o Guarani, do Paraguai, na Vila Belmiro, no dia 18 de fevereiro, o goleiro falhou nos dois gols do adversário, foi vaiado e saiu de campo correndo, sem olhar para as arquibancadas. Nas entrevistas, Doni disse que sabia que enfrentaria esse tipo de pressão por ser ex-goleiro do Corinthians e que estava preparado. Após o jogo, o presidente Teixeira, no caminho entre a tribuna de honra e os vestiários da Vila Belmiro, ouviu vários tipos de protestos contra a saída de Fábio Costa e até o apelo patético de um torcedor, que se ajoelhou diante dele e implorou: "Por favor presidente, mande embora esse goleiro e não contrate mais nenhum corintiano. Eles só vêm para cá para ferrar o Santos." Com a saída de Doni, Júlio Sérgio deve se firmar como titular e Leão indicar um novo goleiro para ser o seu reserva no restante da Copa Libertadores e no Campeonato Brasileiro. "Fiquei sabendo que serei o goleiro contra o Jorge Wilsterman, apenas depois do treino, mas no coletivo de segunda-feira, quando recebi o colete do time titular, achava que tinha chance de voltar", disse Júlio Sérgio, ao tomar conhecimento que Doni está de saída. "Fizemos o aquecimento juntos, brincamos, mas não falamos sobre isso." O último jogo de Júlio Sérgio como titular foi contra o Palmeiras (2 a 2) pelo Campeonato Paulista. "Fiquei chateado, mas não me abati. Fez nem para o meu ego ouvir a torcida gritar o meu nome e agora quero fazer um bom papel para as coisas continuarem tranqüilas", afirmou o goleiro. Com as ausências de Alex (estiramento muscular na coxa direita), Pereira (lesão muscular na coxa direita), Basílio (lesão muscular na parte posterior da coxa esquerda) Leão vai escalar um time bem diferente daquele que apanhou de 4 a 0 do São Caetano, na despedida do Campeonato Paulista: Júlio Sérgio; Paulo César, Alcides, André Luís e Léo; Claiton, Renato, Preto Casagrande (Luís Augusto) e Diego; Robinho e Elano. Esse foi o time do coletivo de hoje à tarde e, jogando mais adiantado, Diego foi o grande destaque. "Sempre falei para ele ir para dentro da área, mas não me escutava. Hoje, na nova função, ele voltou para marcar e apareceu bem na frente, porque tinha outro pelo meio, fechando pelo outro lado. Em três bolas, fez dois gols", comentou Leão. Por medida de economia, a diretoria determinou a suspensão da concentração para o jogo de amanhã. Depois do treino de hoje, os foram dispensados com a ordem de se apresentarem amanhã, ao meio-dia, num hotel da cidade, onde almoçarão e ficarão aguardando o jogo, que será o principal ponto do programa de comemoração do 92º aniversário de fundação do clube. Os associados com mensalidades em dia receberam convites e não pagam nada para entrar na Vila Belmiro. A arquibancada custa R$ 5 e quem tem direito à meia entrada, gastará apenas R$ 2. Antes do jogo, será exibido no placar multimídia da Vila um documentário sobre as principais conquistas do Santos e o sistema de som do estádio puxará o parabéns a você.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.