Doni garante estar pronto para desafio

Doni será o goleiro do Santos no jogo desta quinta-feira contra Jorge Wilstermann, da Bolívia, na estréia das equipes na Copa Libertadores da América. O técnico Emerson Leão confirmou nesta terça-feira a estréia do jogador, que nem vinha ficando no banco de reservas, mas ainda não definiu quem será o primeiro volante. Pelo treino desta terça-feira e depois da falha de Paulo Almeida no segundo gol do Palmeiras, ele estava mais propenso para escalar Claiton, que entrou no segundo tempo e ajudou o Santos a conquistar o empate. Robinho também era dúvida. Ele reclamava de dores musculares na perna, mas foi relacionado e viaja nesta quarta para Cochabamba."Doni já se encontra física e tecnicamente apto para ser escalado", disse Leão, lembrando que quando o jogador chegou na Vila Belmiro "estava sem treino, pesado e não tinha condição de jogar". Pedrinho Santilli, o treinador de goleiros escolheu a camisa 1 para inscrever o goleiro na Libertadores.Doni ficou satisfeito com a notícia de que seria o titular. "Estou há algum tempo treinando com eles e o entrosamento já existe com o grupo", disse o goleiro. Ele esperou por esse momento sem reclamar, sempre respeitando Júlio César, seu amigo desde os tempos que jogavam em Ribeirão Preto, "e que estava jogando bem"."Minha postura era a mesma de Leão e eu não me estava bem para jogar porque sentia dores na perna, fiquei fora de treinamentos e não estava legal ainda", disse Doni. "Eu concordei plenamente com a postura de Leão e não tinha o que falar sobre isso porque concordava com ele".Desde que chegou na Vila Belmiro, Doni procurou entrar no ritmo de trabalho de Leão, observando bem o trabalho do treinador no dia-a-dia."Procurei observar muito, conversei com os companheiros e com o próprio Pedrinho para poder entrar na linha, dentro da forma que ele quer´.O goleiro não sabe se irá haver um rodízio de goleiros. "A única coisa que sei é que estou na lista de convocação". Mas acha que o time precisa estar definido para jogar sempre da melhor forma e ser vencedor.COBRANÇA - Diego deverá atuar nesta quinta e Leão entende que, "por ser um jogador de grande caráter e grande capacidade, terá maior facilidade em reverter o momento de cobrança que está passado". O treinador acha que "o eco foi muito mais sentido no Brasil que no Chile e, por mais amadurecido que seja um atleta, fica surpreso". Disse mais a respeito de seu meia: "o Diego compra alguns desafios pesados e isso dá um desgaste muito grande".Desde que Diego voltou do pré-olímpico do Chile passou a ser cobrado pelo fracasso do Brasil e chegou a sentir o peso dessa pressão no clássico de sábado contra o Palmeiras. Leão chegou a substituí-lo, mas em nenhum momento deixou de defender o meia, que é um de seus principais jogadores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.