Doni nem viu a bola de Marcelinho

Apesar da derrota por 3 a 0, o goleiro Doni foi o destaque do Botafogo no primeiro jogo da final do Campeonato Paulista, contra o Corinthians. Sem suas frias e seguras defesas, o resultado talvez ficasse pior para a equipe de Ribeirão Preto. Foi a sua primeira derrota em seu sétimo jogo como profissional. "Fico chateado em perder, ainda mais assim e na final", disse ele, decepcionado. Depois do jogo, Doni foi obrigado a repetir inúmeras vezes como foi o gol de falta de Marcelinho. "Nem vi a bola, mas, se visse, também não dava para fazer a defesa", explicou o goleiro. "Nem com dez Donis daria para pegar aquela bola", disse ele, que ficou indignado com a falta feita próxima à entrada da área. "Conversamos durante a semana para evitar isso." Neste lance do primeiro gol corintiano, Doni só viu a bola quando ela estava passando sobre a barreira. O Corinthians foi esperto e colocou Otacílio, João Carlos e Scheidt na formação de barreira, encobrindo a visão do goleiro do Botafogo. O técnico Lori Sandri havia alertado os jogadores sobre a maneira de Marcelinho cobrar as faltas, mas não adiantou: "Quando ele toma distância, bate de três dedos. Quando fica ao lado da bola, coloca no lado direito do goleiro ou como fez hoje". Para Doni, no entanto, o Botafogo não merecia ser derrotado por 3 a 0. Mas, o goleiro não titubeou em apontar a principal falha do seu time. "Jogamos de igual para igual, mas falhamos nas conclusões e deixamos eles marcarem", lamentou. Doni não quis analisar, antecipadamente, seu desempenho na competição e ainda demonstrou otimismo. "Só farei isso após o último jogo, pois ainda temos chances e vamos buscar o título. Vamos buscar ânimo lá no fundo e também os quatro gols, pois sempre passamos por dificuldades."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.