Divulgação/Prefeitura de Santo André
Divulgação/Prefeitura de Santo André

Dono da melhor campanha, Santo André vai fixar sede no interior para recomeçar o Estadual

Clube procura outro local como casa após estádio Bruno José Daniel ser transformado em hospital de campanha

Ciro Campos, O Estado de S.Paulo

18 de junho de 2020 | 05h00

Quando o Campeonato Paulista recomeçar, o Santo André terá de defender a melhor campanha da competição distante da cidade de origem. O clube líder geral da competição procura alternativas em cidades do interior após o estádio municipal Bruno José Daniel ter o campo transformado em hospital da campanha para atender vítimas do novo coronavírus. Locais como Atibaia, Itu, Sorocaba e Águas de Lindoia são os destinos mais prováveis.

Segundo o técnico do time, Paulo Roberto Santos, o elenco vai se fixar em uma dessas cidades para morar, treinar e jogar. A permanência em Santo André é inviável porque a equipe dependia exclusivamente do estádio para todos os trabalhos diários, seja para a parte física ou até para trabalhos táticos. Como o local está dedicado exclusivamente ao atendimento de pacientes, não resta outra alternativa. 

"Possivelmente a sede nossa será no interior. A diretoria já tem conversado com algumas cidades, como lá em Sorocaba, para usar as instalações do Atlético Sorocaba. Águas de Lindoia e Itu também são opções", explicou o treinador. Inclusive, durante todo o tempo restante da competição, o Santo André não voltará à cidade de origem. "Nós vamos ter de escolher uma cidade para morar com os jogadores em um hotel e por lá mesmo treinar e jogar", afirmou.

766E3C01-53A8-483E-9B06-CCE0C7108013
Só temos três jogadores remanescentes do grupo. Vamos ter de reconstruir
E0EAB005-9061-4B3D-86B9-AEB61693E313
Paulo Roberto Santos, Técnico do Santo André

Até a paralisação, o Santo André tinha somado 19 pontos em dez partidas e estava perto de confirmar classificação para a fase seguinte. Agora, não apenas o time terá de disputar o Estadual com os portões fechados e longe de casa. Será preciso ter um novo elenco. "Só temos três jogadores remanescentes do grupo. Mais de 20 atletas estão livres no mercado ou até já assinaram com outras equipes. Vamos ter de reconstruir", disse o técnico.

As principais perdas citadas pelos treinador são de quatro titulares absolutos do time. O goleiro Fernando Henrique assinou com o Brasiliense, o zagueiro Luizão acertou com a Ponte Preta, o meia Dudu Vieira se transferiu para a Ferroviária e o artilheiro do Santo André, Ronaldo, é agora jogador do Sport. As tamanhas perdas obrigam o clube a ir atrás de um pacote de contratações. No momento só atletas têm vínculo com o Santo André.

"A questão de não ter a nossa casa e não ter os jogadores, fazem as dificuldades dobrarem. Vamos ter que replanejar tudo. E será em um tempo muito curto", afirmou. Apesar de tantos problemas, a equipe vai retomar o Paulista em situação confortável, ao precisar apenas de uma vitória nos dois jogos restantes para confirmar a classificação às quartas de final.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.