Donos retiram ação que barrava venda do Liverpool

Mas Hicks e Gillett Jr exigem compensação financeira de US$ 1,6 bilhão pela realização do negócio

AE, Agência Estado

15 de outubro de 2010 | 11h23

Donos do Liverpool, os empresários norte-americanos Tom Hicks e George Gillett Jr retiram a ação judicial no Texas, nos Estados Unidos, que estava barrando a venda do clube inglês. Apesar disso, eles exigem uma compensação financeira de US$ 1,6 bilhão (aproximadamente R$ 2,7 bilhão) pela realização do negócio, feito contra a vontade de ambos.

A diretoria do Liverpool já acertou a venda do clube para o grupo New England Sports Ventures, que é dono do famoso time de beisebol Boston Red Sox, por 300 milhões de libras (cerca de US$ 475 milhões). Como acharam o valor muito baixo, Hicks e Gillett entraram com ação judicial para tentar barrar o negócio.

O problema é que o Liverpool tem dívidas que chegam a 280 milhões de euros (em torno de 468 milhões de reais), o que forçou Hicks e Gillett a colocá-lo à venda ainda no primeiro semestre. Diante da desesperadora situação financeira do clube, os diretores resolveram concretizar o negócio agora, mesmo diante da posição contrária dos dois donos.

Gigante do futebol europeu, o Liverpool é o maior campeão da história do Campeonato Inglês - tem 18 títulos, ao lado do Manchester United. Mas, por conta da enorme dívida e dos problemas de administração, está enfrentando uma temporada péssima, ocupando a zona de rebaixamento do torneio nacional.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolLiverpool

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.