Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Don't Cry for me Argentina. A eliminação foi merecida

Argentina é um time bagunçado, que depende demais da genialidade de Messi

Raphael Ramos*, O Estado de S.Paulo

30 Junho 2018 | 13h07

A França está nas quartas de final da Copa do Mundo com todo merecimento. A vitória por 4 a 3 sobre a Argentina, em Kazan, foi justa e premiou o time que jogou melhor e não se abalou nos raros momentos em que sofreu um certo aperto. Nem quando ficou atrás no placar a equipe entrou em desespero. Já a Argentina...

+ França ganha por 4 a 3 e elimina a Argentina na Copa

A Argentina não tem o mínimo de organização tática. É um time totalmente bagunçado, que depende demais da genialidade de Messi. O craque, no entanto, nem sempre vai decidir tudo sozinho. Neste sábado, foi assim.

Agora, Messi vai ter de conviver, pelo menos até a Copa de 2022, no Catar, com as comparações que o perseguem e o colocam um degrau abaixo de Maradona na lista dos maiores jogadores da história. Campeão de tudo com o Barcelona, o craque fracassou mais uma vez na tentativa de levantar a taça do Mundial, feito que Don Diego alcançou em 1986.

Quarta Copa da sua carreira, o Mundial na Rússia era considerado por muitos como o ideal para Messi, enfim, brilhar. Aos 31 anos, o craque está muito bem fisicamente, fez ótima temporada no Barcelona e conquistou o título espanhol.

A bem da verdade é que Messi esteve longe de ser brilhante na Rússia. Na estreia, contra a Islândia, perdeu um pênalti. Diante da Nigéria, marcou um golaço. Mas, neste sábado, teve atuação discreta. Seu lance mais efetivo foi o chute que acabou desviando em Mercado e deu origem ao segundo gol argentino. Depois, levantou a bola na área para Aguero marcar o terceiro e dar um suspiro de esperança aos argentinos.

Messi parece ter perdido o brilho com a seleção argentina. Com o semblante cansado, virou um jogador óbvio. Enquanto isso, o garoto francês Mbappé, de apenas 19 anos e cheio de vigor, pede passagem. Marcou dois gols contra a Argentina e promete muito mais daqui pra frente.

* CHEFE DE REPORTAGEM DE ESPORTES DO ESTADÃO

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.