Doping: a preocupação da Fifa

O excesso de jogos e o doping no futebol preocupam a Fifa. Em uma avaliação de final de ano publicada nesta terça-feira, o presidente da entidade, Joseph Blatter, criticou o número de partidas disputadas nos principais campeonatos nacionais e alertou que o volume de jogos sendo transmitidos pela tevê poderá ter uma repercussão financeira negativa."Isso tudo tem uma repercussão financeira, já que a renda gerada pela transmissão, publicidade e ingressos não é mais suficiente para cobrir os gasto", afirmou Blatter, que ainda se diz preocupado com a situação econômica de várias equipes. Uma das propostas do suíço é de que os campeonatos nacionais limitem o número de times disputando a primeira divisão, o que daria maior espaço para que o calendário internacional fosse respeitado.O presidente da entidade aponta que, de uma maneira geral, clubes, associações e atletas não estão respeitando os princípios disciplinares da Fifa. "Incidentes de doping estão sendo registrados em várias associações e, o que é lamentável para a Fifa, dois casos foram identificados no Campeonato Mundial Sub-20", disse.Nesta segunda mesmo, a Fifa puniu esses dois casos com suspensões. Uma delas atinge o egípcio Amir Azmy. A outra se refere ao goleiro da Alemanha, Alexander Alke. Blatter ainda aponta a tendência de jogadores e clubes de levarem disputas relacionadas ao futebol a tribunais civis, iniciativas que são condenadas pela Fifa.CENTENÁRIO - Apesar de todos os problemas, a Fifa espera que clubes, federações e atletas entrem em acordo sobre os vários problemas para que as celebrações dos 100 anos da entidade, em 2004, não sejam ofuscadas por crises. Para isso, a Fifa já se apressou para declarar 2004 como ano do "Fair Play" e para aprovar o novo estatuto da entidade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.