Doping: Itália deve controlar sangue

A Itália resolveu radicalizar no controle antidoping e deve implementar, a partir de janeiro, testes cruzados de urina e sangue no Campeonato Italiano. Uma reunião organizada pela Associação Italiana de Futebolistas (AIC) e realizada nesta terça-feira entre representantes de jogadores, jogadores e especialistas em antidoping deixou praticamente certo que a nova norma deva entrar em vigor já no próximo mês.De acordo com o esquema a ser feito, a cada domingo serão sorteados 12 jogadores em três partidas (duas da Primeira e um da Segunda Divisão, dois atletas por equipe), os quais deverão se submeter aos controles de sangue e também de urina. Desse total, mais quatro ainda passariam por um novo controle de urina para detectar o uso da substância EPO.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.