Governo do Estado de SP
Governo do Estado de SP

Doria defende realização da Copa América no Brasil: 'Temos de ser coerentes'

Governador de São Paulo repete discurso do presidente Jair Bolsonaro e acredita que é possível realizar a competição continental de seleções em meio à pandemia

Redação, O Estado de S.Paulo

01 de junho de 2021 | 16h27

O governador João Doria (PSDB) voltou a defender nesta terça-feira, dia 1, a realização da Copa América no Estado de São Paulo. Ele justificou que seria incoerente permitir jogos de torneios nacionais e vetar a competição continental de seleções. "Temos em São Paulo, autorizados pelo governo, os campeonatos estaduais, sul-americano e torneios para os mais jovens. Temos a Copa do Brasil e o Brasileirão. Se tivermos discurso coerente, temos de parar o futebol em São Paulo, então. Todos os torneios têm de parar", disse Doria.

"Discriminar especificamente a Copa América porque é fruto de um entendimento do negacionista de Brasília (em referência a Jair Bolsonaro), nós perdemos o bom senso e análise. Obedecendo todos os protocolos rigorosamente, não há razão para não ter um torneio aqui em São Paulo", acrescentou.

O discurso de Doria é semelhante ao de Bolsonaro. Nesta terça-feira, o presidente disse que se depender dele e dos ministros está acertado. "O protocolo é o mesmo da Libertadores, o mesmo da Sul-Americana (campeonatos internacionais de futebol), a mesma coisa", declarou o presidente.

A Conmebol anunciou na segunda-feira o Brasil como sede da Copa América após Colômbia e Argentina recusarem a competição por causa de convulsões sociais e da pandemia. A decisão gerou críticas e também dividiu o País. Os governadores do Rio Grande do Sul, Pernambuco e Rio Grande do Norte já alegaram não ter condições de receber um evento desse porte em meio à sua luta contra a covid-19. Nas redes sociais, o evento ganhou apelidos como "Corona Cup" e "Cepa América", além de memes críticos à competição.  

Doria, no entanto, ignorou as críticas. "Saúde é saúde e eu trabalho com a coerência. Se os jogos do Brasileiro e Copa do Brasil são realizados aqui, porque impedir a realização de um torneio, simplesmente a Copa América. O que difere um chileno, um equatoriano, do jogador brasileiro? São todos seres humanos. Todos têm de estar protegidos", encerrou.

O vice-presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), apresentou requerimento para que o colegiado convoque o presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Rogério Caboclo, para explicar sobre a realização do evento. A iniciativa é apoiada pelo senador Renan Calheiros (MDB-AL), relator da CPI, que afirmou ao Estadão que vai se esforçar para que ela seja aprovada.

A Conmebol pretende vacinar as dez delegações participantes da Copa América 2021  até o início do torneio, dia 13. As seleções do Chile, Bolívia, Equador, Paraguai, Uruguai e Venezuela já receberam a primeira dose do imunizante da Sinovac. Argentina, Brasil, Colômbia e Peru ainda não. As datas dos jogos serão confirmadas em breve, assim como os Estados onde haverá partidas. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.