Divulgação/Governo de São Paulo
Divulgação/Governo de São Paulo

Doria libera volta aos treinos dos times de futebol a partir de 1º de julho

Clubes deverão obedecer critérios sanitários como medição de temperatura dos atletas e uso de máscaras pela comissão técnica; jogos só devem voltar depois de agosto

Bruno Ribeiro, João Prata, Paloma Cotes e Marina Aragão, O Estado de S.Paulo

17 de junho de 2020 | 13h03

O governador João Doria (PSDB) liberou nesta quarta-feira o regresso aos treinos dos times das Série A de São Paulo a partir do dia 1º de julho. A informação foi antecipada pelo Estadão na terça-feira. Para retomar as atividades, os clubes terão de obedecer uma série de protocolos sanitários. De acordo com o Centro de Contigência Contra a Covid-19, os jogos só devem acontecer depois de agosto. "A retomada das partidas será avaliada em fases posteriores e sempre em conjunto com a Federação Paulista de Futebol e a Confederação Brasileira de Futebol", disse o governador.

"Entre as medidas que deverão ser adotadas estão testes regulares dos jogadores e comissão técnica, limitação de pessoas nos treinamentos, a não presença de torcida, uso de máscaras por todos aqueles da comissão técnica que estiverem presentes, assim como medição de temperatura obrigatória de todos, atletas e não atletas", informou Doria. 

De acordo com o governo do Estado, o retorno aos treinos só será permitido depois que atletas e demais profissionais forem submetidos a exames do tipo PCR. Também serão aplicados os chamados testes rápidos. Os treinos deverão envolver atividades físicas individuais, com limitação no número de pessoas presentes e a presença de jornalistas ou público está proibida. Atletas e demais profissionais deverão respeitar distanciamento mínimo e o uso de máscaras é obrigatório, exceto quando a proteção prejudicar o desempenho dos jogadores. 

Pelo protocolo, cada clube deverá manter um registro de casos suspeitos, testes realizados e diagnósticos confirmados com análise periódica das informações. Além disso, profissionais com idade a partir de 60 anos ou portadores de doenças crônicas não devem participar dos treinamentos.

As equipes vão seguir recomendações indicadas pelo chefe médico da Federação Paulista de Futebol, Moisés Cohen. E também precisarão se adequar a diversas restrições, que gradualmente serão reduzidas, como vêm ocorrendo em outros estados do País que já permitiram a liberação dos treinos, como o Rio Grande do Sul e Minas Gerais.

"O comitê de Saúde leva em conta também que existem outras modalidades esportivas de prática profissional e amadora no Estado de São Paulo, que também estão sendo avaliadas nesse momento. No próximo dia 26 de junho, o comitê vai se pronunciar sobre as demais atividades esportivas, sejam elas profissionais e amadoras."

A definição se dá após uma reunião feita entre governo do Estado, representantes dos clubes da capital, Tribunal de Justiça Desportiva e Federação Paulista de Futebol. No encontro, foi entregue o documento que baseou a volta dos treinos, um passo importante para a futura retomada do Campeonato Paulista que, porém, não deverá ocorrer em menos de um mês. 

O Campeonato Paulista está paralisado desde 16 de março. Embora a volta aos treinos não ocorra com uma data determinada para a volta da competição, abre o caminho para a sua retomada, sendo que nesse momento faltam duas rodadas para o fim da primeira fase, além dos confrontos das quartas de final, semifinais e final.

O pneumologista Carlos Carvalho, coordenador do Centro de Contigência Contra a Covid-19, disse que o comitê vem recebendo solicitações de abertura de uma série de setores econômicos. Um dos membros do comitê, disse ele, é uma espécie de "relator" de cada caso, estudando como essa área foi liberada em países que já passaram pela covid. As informações, analisadas pelo Centro, são levadas ao governador com um parecer pela aprovação ou não da atividade. "A solicitação que veio primeiro, mais bem formatada, foi a do futebol, e por isso que a resposta primeira foi para a Federação Paulista, dos clubes profissionais da Série A 1".

A liberação não vale, porém, para as regiões de Barretos, Presidente Prudente e Ribeirão Preto, que estão na classificação vermelha, a mais restrita do Plano São Paulo.  "Com relação aos municípios, ainda temos essa semana e a semana seguinte para ver as fases dos municípios e a orientação dos clubes ficará mais evidente se eles poderão treinar nas sua próprias dependências ou treinar em uma outra cidade", afirmou Carvalho.

Sobre a retomada do campeonato carioca, Doria afirmou que que ficou surpreso ao verificar que dois times vão entrar com medida judicial para não voltarem às atividades. "Quero cumprimentar esse clubes que tiveram atitude de grandeza", disse. O prefeito Marcelo Crivella autorizou o retorno da competição. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.