Doring atuou ilegalmente no Vasco

A CPI do Futebol acaba de determinar o início da sessão secreta para continuar ouvindo o depoimento do contador do Vasco da Gama Vanderlei Doring. Ele disse na CPI que foi contador do clube entre 1970 e 81 e que a partir de 1982 cancelou o seu registro no Conselho Regional de Contabilidade (CRC) para exercer a função de fiscal de renda no Estado do Rio de Janeiro. A CPI, no entanto, tem o balanço patrimonial de 1996 do Vasco, assinado por Doring. Ele aparece como contador geral, segundo a folha 5, e apenas contador, na página 8 do balanço.Segundo o relator da CPI, senador Geraldo Althoff (PFL-SC) a situação do contador "é grave por ter exercido ilegalmente a profissão" uma vez que Doring já estava com o seu CRC cancelado desde 1982. "Os funcionários não sabiam que eu não era, oficialmente, o contador do clube, por isso muita gente acha que eu o seja", disse Doring. "Eu achei que não havia problema assinar o balanço patrimonial do clube, uma vez que não assinava documentos fiscais".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.