Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Doriva admite São Paulo abatido após eliminação na semifinal

Técnico promete postura ambiciosa para reagir no Brasileirão

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

30 de outubro de 2015 | 12h14

Três dias depois de ser eliminado pelo Santos na Copa do Brasil, o São Paulo terá pela frente o retorno das atenções para o Campeonato Brasileiro. O jogo contra o Sport, neste sábado, às 17 horas, no Morumbi, abre a série dos seis últimos jogos antes do fim da temporada e segundo o técnico Doriva, o confronto é a melhor oportunidade para superar o abatimento pela queda na semifinal do competição de mata-mata.

"É claro que existe um abatimento, mas começamos a combater isso. Ainda bem que existe um objetivo para buscar no Campeonato Brasileiro. Estamos focados para reagir o mais rápido possível", disse o treinador nesta sexta-feira. O São Paulo foi definido para o jogo em um treino fechado na manhã desta sexta-feira. A tendência é o time ter o retorno do volante Thiago Mendes, que estava suspenso na quarta-feira.

A derrota na Vila Belmiro tirou do clube a chance de fechar a temporada com algum título e fez da briga por vaga na Copa Libertadores por meio do Brasileirão a grande obrigação antes do fim do ano. "Temos de ser ambiciosos e garantir essa classificação. Temos que preparar o alicerce do ano de 2016 agora. Estamos mobilizando os atletas para isso", explicou Doriva. O São Paulo está em quinto lugar, empatado com o Santos em 50 pontos, mas atrás nos critérios de desempate.

Doriva voltou a afirmar que não se sente sob risco de sair do cargo e garantiu não fazer parte por enquanto do planejamento do clube para o próximo ano, embora a diretoria tenha começado a rascunhar algumas ações, como a possível tentativa de contratar o zagueiro uruguaio Diego Lugano. "Não temo não ser o técnico no ano que vem. Estou fazendo o meu trabalho muito confiante. É a diretoria que vai avaliar. Sigo tranquilo e confiante", disse.

O São Paulo vai ter no gol neste sábado Dênis, que volta a ser titular depois de mais de oito meses. Rogério Ceni está com uma lesão no ligamento do tornozelo direito e, segundo o clube, deve ficar até três jogos fora. A principal dúvida na formação é entre Alan Kardec ou Luis Fabiano como atacante centralizado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.