Rubens Chiri/São Paulo FC
Rubens Chiri/São Paulo FC

Dorival assume culpa por derrota e confia em apoio da diretoria do São Paulo

Treinador lamentou a má atuação do time na derrota para o Ituano, mas blindou atletas; pressão por demissão é forte

Matheus Lara, O Estado de S.Paulo

22 de fevereiro de 2018 | 00h46

O técnico Dorival Junior, do São Paulo, reconheceu a má exibição do time na derrota por 2 a 1 para o Ituano, nesta quarta, e assumiu a responsabilidade pelo resultado. O discurso destoou da última coletiva do treinador, após perder por 1 a 0 para Santos, em que disse que "técnico não faz gol" - frase mal recebida nos bastidores do clube.

Atrapalhado, São Paulo perde a segunda seguida no Paulistão e pressão aumenta

"A responsabilidade é do treinador sempre. Não fujo disso. Não fizemos uma boa partida e precisamos entender tudo que se passou do último domingo para cá. Foi uma partida bem abaixo do que poderíamos jogar e foi uma indignação em todos nós nos vestiários."

Pressionado no cargo, o treinador diz ter a confiança da diretoria tricolor. "Sinto apoio e estão acompanhando trabalho no dia a dia. Graças a Deus estou muito atento ao que acontece no dia a dia. Passamos por momento bem mais difícil ano passado no São Paulo. Falei que haveria oscilação nesse começo de ano. Teremos de enfrentar."

O técnico revelou que, nos vestiários, o clima após o jogo foi de indignação geral. "Foi uma partida bem abaixo do que poderíamos jogar. Uma indignação de todos nós nos vestiários mas o futebol faz isso, que você tenha que sair de um momento ruim e tente um recuperação."

Dorival voltou a reclamar do calendário apertado deste início de temporada. O time fez seu 10º jogo em 34 dias. "Não vejo nenhuma equipe jogando o futebol que todos querem. Não estou desviando o foco do que acontece com o São Paulo. Nao temos nenhuma equipe no país atuando de uma maneira convincente. Foram doze dias de trabalho (na pré-temporada), com as mudanças que tivemos, com jogadores ainda sem quatro ou cinco partidas pelo time, eu seria covarde de cobrar uma condição melhor."

O time volta a campo no próximo domingo, em casa, contra a Ferroviária, pela 9ª rodada do Estadual. O time tricolor lidera o grupo B com 10 pontos, mesma pontuação da vice-líder Ponte Preta.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.